Um botão “Desfazer” para usar na vida

Um botão “Desfazer” para usar na vida

2

Seria ótimo ocultar algumas cagadas na vida. Nos sentiríamos bem melhor se nosso “histórico de atividades” constasse apenas o momento em que abrimos a garrafa de tequila. Ninguém precisa relembrar ou compartilhar que terminamos a noite em coma alcoólico de bruços no chão. Alguns relacionamentos teriam sua duração aumentada se, logo depois de um discussão em que você disse tudo o que pensa, houvesse a possibilidade de “excluir conversa”. E aquela piada de gosto duvidoso que ninguém riu? Melhor ocultar… Teríamos a mesma vida perfeita que vivemos na internet, onde tudo é só alegria, só falamos em momentos felizes e nossos amigos concordam com a gente sempre.

 

Mas me pergunto se todo esse desejo de desfazer o momento onde erramos não esconde aquela vontade insaciável de agradar sempre, ou seria apenas uma covardia e medo de enfrentar as consequências de quando fazemos algo que nossos amigos ou a sociedade desaprova. Afinal, se pudéssemos esconder ou apagar todos os nossos erros, jamais sofreríamos as complicações dos mesmos.

 

Você queria mesmo um botão desses?

Você queria mesmo um botão desses?

 

Peço licença para ser clichê e dizer que é com nossos erros que aprendemos a fazer o certo. É fazendo besteira que aprendemos os nossos limites – e às vezes, os dos outros também. Quando passamos por alguma situação que soa familiar, a primeira coisa que fazemos é lembrar de quando estivemos naquela posição pela última vez. Sabemos muito bem onde acertamos e onde erramos, e isso (se formos inteligentes) vai fazer com que nossas atitudes sejam diferentes, sejam melhores.

 

Se houvesse mesmo um botão “Desfazer” essas lembranças não existiriam, não haveria experiência anterior e não saberíamos como agir, o que provavelmente nos levaria a errar toda vez. E seguiríamos errando e ocultando as cagadas que fazemos. Será que seria bom? Eu não curtiria.

 

Ficaríamos presos em um looping infinito bancado pelo botão "desfazer".

Ficaríamos presos em um looping infinito bancado pelo botão “desfazer”.

 

Portanto, quando pensar de novo que seria muito mais fácil lidar com alguma situação chata simplesmente desfazendo o ocorrido, guarde bem esse momento na sua memória. Analise os fatos, lembre-se das suas atitudes e dos resultados que obteve. Só assim você vai acertar na próxima e vai ter mais gente curtindo e compartilhando suas ações.

 

Atenção: A frase do título é de autoria da Daniela Lusa, minha parceira de desilusão na Desiludindo S/A.

Jéssica Mendes
Carioca da Barra da Tijuca, 25 anos, dentista especializada em prótese. Porém, como o mercado odontológico tá mais caído que dentadura velha, tento fazer as pessoas rirem de outra forma... Por incrível que pareça, acredito no amor. Para maiores desilusões, acessem: Desiludindo S/A.

Leia também...

 
Dê mais vida a Feedback Mag., para sua imagem aparecer ao lado de seu nome nos comentários, cadastre-se no Gravatar usando o mesmo e-mail com o qual você comenta aqui na revista. Leva 2 minutos.
 
  • Marciel Gomes

    Muito bom o texto !

    Não queria um botão desses, acho que grande parte de nossa rotina e certos comportamentos, aprendemos através de erros dos outros e principalmente dos nossos.

  • José Camilo Santos

    Excelente texto para autoreflexão. Parabéns!