Ensaios

CQC – O custe o que custar custou

8
CQC – O custe o que custar custou

A personalidade polêmica e paradoxal do apresentador-humorista Rafinha Bastos foi evidenciada num episódio que poderíamos classificar no mínimo como inusitado, uma senhora saia justa em tempo real e em rede nacional. O fenômeno do Twitter, que foi considerado o mais influente do segmento, vomitou uma infeliz frase durante o programa CQC.

Continue lendo...

Brindes da obra divina!

15
Brindes da obra divina!

Brindados pela obra divina, recebemos dois ouvidos, dois olhos, uma boca e uma língua. Estas foram às observações deixadas pelo filósofo Zenão de Eléia (filósofo grego, 485 - 430 a.C). Com a finalidade de enfatizar que devemos ouvir e ver muito mais do quer falar. O bom ouvinte colhe, enquanto aquele que fala semeia.

Continue lendo...

E o meu direito de ser homem?

12
E o meu direito de ser homem?

Caros amigos, não aguento mais ouvir falar de homofobia! Até o prefeito da cidade do Rio de Janeiro parece estar mais preocupado com isso do que com a violência que nos cerca todos os dias. O mais engraçado é que se vejo dois homens se beijando na rua, e viro a cara, sou rotulado como preconceituoso e homofóbico. Assim, dizem que estou desrespeitando o espaço alheio, mas e o meu...

Continue lendo...

Estou falando é de amizade

4
Estou falando é de amizade

Hoje, dia 20 de julho de 2011, comemora-se mais um dia do amigo. E amizade é coisa séria, tema que permeia diversas áreas da arte, literatura e da vida, muito se escreve sobre, muito se fala sobre, muito se vive sobre. É um assunto tão importante que invade, ou invadiu, o pensamento de grandes pensadores por séculos, como...

Continue lendo...

Amor ou Paixão

11
Amor ou Paixão

Nada melhor do que estar com os amigos! Assim penso e sempre pensei. Considero a amizade um sentimento maior que o amor, pois a amizade é livre, enquanto o amor tem uma tendência de posse. As pessoas se acham donas uma das outras, enquanto na amizade cada um faz o que quiser fazer. Isso é liberdade, e não sufoca. Pode até parecer estranho esta afirmativa, mas ela se fundamenta nos...

Continue lendo...

Consumismo real e digital

3
Consumismo real e digital

Não, eu não preciso comprar. Você, talvez precise de um carro, um bom computador, roupas, um celular com algumas funções básicas e tal. E pode ter suas necessidades sua sanadas com um carro popular, um notebook de boa potência, pra você poder viajar facilmente com ele e não se sentir fora do planeta por não estar conectado ao seu Orkut ou Facebook, a até postando no Twitter todas as besteiras...

Continue lendo...

A culpa é sempre do estagiário

3
A culpa é sempre do estagiário

O dia 11 de novembro de 2009 foi inesquecível durante minha vida de estagiário. Dia seguinte ao "apagão" que deixou todo o Brasil e o Paraguai sem luz, um engraçadinho deixou um recado colado na tela do meu Mac, com a seguinte frase: "Em Itaipu o chefe disse: o último a sair, não se esqueça de apagar todas as luzes! O estagiário, que infelizmente ficou por último, levou ao pé...

Continue lendo...

Um Sonho de Liberdade – Vasco Campeão

4
Um Sonho de Liberdade – Vasco Campeão

Estávamos confiantes, toda a nação vascaína sentia que podia dar certo. Agora os tempos são outros, nossos líderes também, os patrocinadores voltaram e o time joga com garra, veste a camisa, seja ela qual for, do número 1 ao 11, o importante é a vontade de vencer. Já não estamos presos nas mãos de um ditador e de jogadores fracos, porém apadrinhados. Hoje, o nome que está na frente é...

Continue lendo...

Repensando a existência

2
Repensando a existência

Nosso pensamento é um canal para atrair energias em nossa direção, seja desejos, informações ou pensamentos positivos. Isto geralmente acontece comigo, às vezes em bom sentido ou mau também. Tudo depende do direcionamento das atitudes positivas em que estamos focados.

Continue lendo...

O racismo dos sempre derrotados

11
O racismo dos sempre derrotados

O apartheid foi uma medida tomada em 1948 pelo Partido dos Nacionalistas, na África do Sul, que separava de maneira covarde e injusta os negros dos brancos. Após essa medida, um negro não poderia mais andar em um coletivo que tivesse algum branco dentro e nem mesmo morar em um bairro que morasse algum branco. Assim os brancos dominaram 87% do território do país obrigando a população negra a residir...

Continue lendo...