Prévias Republicanas – Marco Rubio desperta. </br> Ben Carson, em alta.

Prévias Republicanas – Marco Rubio desperta.
Ben Carson, em alta.

4

As prévias republicanas seguem a todo vapor. Os 4 candidatos que lideram as pesquisas tiveram dias razoavelmente agitados. A começar por Carly Fiorina que recebeu duras críticas da esquerda com relação a sua performance como gestora. Há quem diga que ela foi demitida da HP por ser uma má administradora, outros dizem que ela não era uma chefe muito querida, que ela teria fechado as contas da sua campanha como senadora em débito, questionamentos sobre sua fundação beneficente e etc. Em suma, as críticas focaram numa suposta inabilidade de Fiorina em lidar com finanças e pessoas. Em entrevista para o programa The Kelly File ela minimizou as críticas e disse que o elas eram fruto de dois fatores: (1) o seu crescimento nas pesquisas e (2) o fato de ela ser uma mulher conservadora. Ao meu ver, Carly respondeu bem, mas perdeu a chance de ser mais incisiva. Quando a acusações como essas vem à tona, é preciso mostrar força.

 

Trump teve de negar os rumores de que ele abandonaria a disputa. Segundo ele, não há chance alguma de abandonar a disputa porque ele está liderando todas as pesquisas até agora. Isso é fato. Mas também é fato que essa liderança vem se abalando progressivamente. Resta saber se ele conseguirá se manter no topo até o final. E pra ser honesto, acho que sua queda é questão de tempo.

 

Marco Rubio também esteve nos holofotes. Pela primeira vez ele foi tratado como um candidato que poderia realmente representar o partido republicano nas eleições do ano que vem. Com suas boas performances nos debates e crescimento nas pesquisas, Rubio começou a chamar a atenção da mídia. Isso inclui, claro, os esquerdistas que bateram pesado na tecla da inexperiência, questionando se alguém tão jovem conseguiria presidir a América. Sua juventude, porém, pode ser usada a seu favor se ele emplacar a ideia de um partido republicano renovado que contaria com o apoio dos mais jovens. Sendo bem pragmático, não considero essa uma estratégia ruim, pois é quase um imperativo do mundo moderno a ideia de que o novo é sempre melhor.

 

Mas é claro, temos Ben Carson. Coincidência ou não, outra resposta atrapalhada rendeu a ele mais holofotes do que seus concorrentes. E como tem sido corriqueiro, Carson soube se explicar bem. Ao comentar na Fox News o assassinato em massa ocorrido recentemente em Oregon, Carson disse que se estivesse lá não aceitaria passivamente a ação do atirador. Segundo ele, ele iria convocar as demais vítimas para reagirem e partirem pra cima do assassino numa tentativa de conte-lo. Obviamente, a mídia reagiu dizendo que Carson estaria sendo insensível com as vítimas e que em situações como essa não é possível ter controle das suas ações. Ele, calmo como sempre, reforçou que não fez uma crítica às vítimas, mas que lançava uma semente para que as pessoas modificassem sua forma de agir em caso de outro atentado como esse.

 

Esse foi o gancho, porém, para que ele tratasse da sua posição a respeito do controle de armas – algo, inclusive, que rende má fama a ele e que será tratado aqui em breve. Carson, então, deu a melhor declaração sobre o incidente até aqui. Segundo ele, é possível identificar padrões de potenciais assassinos se houver uma coordenação séria da inteligência com os profissionais de psiquiatria e psicologia. Uma vez identificadas pessoas que não teriam saúde mental para ter o porte de armas, uma ação deveria ser tomada no sentido de prevenir que tais pessoas obtivessem armas. Carson, no entanto, foi extremamente cuidadoso ao lembrar que tudo deve ser feito respeitando-se a second amendment, que protege o direito do cidadão americano de manter e portar armas.

 

Mas controle de armas não foi o único assunto de Carson na semana. Ele também esteve no programa da Whoopi Goldberg falando, por exemplo, de aborto. O neurocirurgião manteve sua posição ao dizer que a guerra feita na mídia não é contra as mulheres, mas contra os bebês, pois são eles que estão sendo mortos. Nas palavras de Carson, “eu passei a minha carreira profissional tentando preservar a vida…até mesmo operando bebês, passando a noite inteira operando bebês prematuros. Eu tive a oportunidade de conhecer essas pessoas. Eles são adultos, adultos que produzem. Não há como você me convencer de que eles não são importantes, de que eles são só um amontoado de células e que você pode fazer qualquer coisa com eles”.

 

Quando Whoopi perguntou se ele não pensava nas mulheres que tinham que tomar essa “terrível decisão” [de abortar], Carson respondeu também de forma brilhante. Ele disse que se sensibilizava com elas e que a solução para o problema está em garantir que essas mulheres tenham toda a assistência médica necessária e que elas possam ter a oportunidade de continuar os seus estudos para evitar o destino comum de caírem na pobreza juntamente com seus filhos. Dessa forma, segundo ele, é possível evitar que a história se repita – veja o vídeo abaixo.

 

Link youtube | Ben Carson responde sobre aborto no programa de Whoopi Goldberg

 

Não há duvidas que Dr. Ben Carson foi o candidato republicano que melhor se pronunciou desde o incidente ocorrido em Oregon. Além do citado aqui, ele ainda lançou a campanha #IamAchristian, que foi um grande sucesso na internet. Portanto, mesmo com o despertar de Marco Rubio, a semana foi de Ben Carson, que mais uma vez se destacou e deve crescer ainda mais nas próximas pesquisas.

Pedro Henrique Franco
Pedro Henrique da Rocha Franco, nascido em 1991. Cristão, amante da leitura e apaixonado por futebol.

Leia também...

 
Dê mais vida a Feedback Mag., para sua imagem aparecer ao lado de seu nome nos comentários, cadastre-se no Gravatar usando o mesmo e-mail com o qual você comenta aqui na revista. Leva 2 minutos.
 
  • Leonardo Tigro

    Torço pelo Ben Carson por conta de sua história de vida, mas fico imaginando se Fiorina e Trump não poderiam fazer um ótimo plano de governo também.

    • http://www.feedbackmag.com.br Fernando Henriques

      Só gosta do Carson porque é negão igual você, fala a verdade. Rs.

      • Leonardo Tigro

        É mais pelo lado emotivo da coisa, pela sua história de vida mesmo rs. Obama é negão e só tá fazendo besteira. Se eu ligasse pra representatividade social teria que apoiar os representantes de todo tipo de minoria, desde índios à nazistas – grupos nazistas são um tipo de minoria, ué.

        • Pedro

          O Carson é pra mim o melhor candidato. É um homem sábio, muito bem-sucedido, preza o estudo e a dedicação em todas as áreas da vida, não tem temperamento explosivo, sabe conquistar a atenção e respeito das pessoas ao seu redor e, óbvio, é cristão…. É uma pena que ele não tenha nem um pouco da “veia política”.