Pichação – Vandalismo ou Arte?

Pichação – Vandalismo ou Arte?

2

Ao passar por uma cidade é comum nos depararmos com rabiscos e garranchos pelas paredes, e geralmente nem se quer é possível entender o que está escrito; é comum também vermos em alguns locais pinturas nos muros e algumas são tão realistas que parecem ter vida. Pois bem, todos sabem que o tal rabisco é uma pichação, o que muita gente não sabe é o porquê de um piche. Então, agora vou mostrar que existe uma ordem por trás deste caos.


Pichação


Na década de sessenta o mundo vivia o auge da Guerra Fria e em muitos lugares as pessoas insatisfeitas com as situações em que se encontravam usavam tintas para escrever nos muros palavras de revolta e pedidos de socorro. Aqui no Brasil isso começou a acontecer em 1965 no Governo Castello Branco, durante a Ditadura. Nesse período o simples fato de reclamar do Governo poderia te levar a prisão ou até a morte, então as pessoas saiam à noite e usavam a escuridão para expressar sua revolta nos muros das cidades e assim começava a pichação no Brasil. O tempo passou e a Ditadura acabou, porém as pessoas continuavam a sair na calada da noite para escrever com tinta suas marcas nos muros da cidade. Mas pra quê?


O motivo do piche hoje em dia é ficar o mais famoso possível, mas você pode se perguntar como ficam famosos se mal se entende o que escrevem? A verdade é que existe um mundo só dos pichadores, onde entre eles há uma competição constante por fama. Tem mais fama aquele que colocar mais nomes nos locais mais difíceis (colocar ou jogar nome, é como os pichadores falam pichar). Eles também usam o termo Charpi, que nada mais é que pichar ao contrário.


Realmente, não dá para entender muita coisa.

Realmente, não dá para entender muita coisa.


Os muros baixos geralmente são pichados por iniciantes, para aumentar sua fama eles também fazem reuniões onde muitos pichadores se encontram e trocam assinaturas em cadernos. Existem ainda seguidores que não picham, mas frequentam as reuniões para conseguir o maior número de nomes famosos juntos em seus cadernos. Os nomes pichados são na verdade nomes simples, como Ema, Marreco, Boneco, Caribe, Chacal, Coiote, Crack, Careta, Crime, entre outros, porém alguns escrevem de uma maneira camuflada para que só os pichadores que conhecem sua assinatura o reconheçam.


Central do Brasil, Rio de Janeiro. Para eles, quanto mais alto melhor!

Central do Brasil, Rio de Janeiro. Para eles, quanto mais alto melhor!


Alguns pichadores fazem parte de clãs ou grupos, e nesses casos além de pichar o nome deles, picham a sigla do seu grupo. É muito comum também um pichador ser pego por um segurança ou policial, nessas horas o que geralmente acontece é ele ter o corpo todo pichado. Também costumam apanhar com a lata, o que às vezes chega a causar lesões mais sérias, mas isso não costuma intimidar os pichadores que certamente ao serem liberados vão parar no primeiro posto de gasolina, para se limpar com o combustível e ter certeza se conseguiram livrar alguma lata de spray, caso sobre, essa não será desperdiçada e terminarão a noite pichando.


Grafite


Alguns pichadores tinham o talento de desenhar e faziam isso durante as pichações, aos poucos isso foi evoluindo para o grafite, que são desenhos variados e em alguns casos super técnicos, usando até efeitos 3D. O grafite surgiu nos Estados Unidos e logo foi absorvido pelos brasileiros. O grande diferencial dos grafiteiros é que estes geralmente pedem autorização aos donos dos muros para fazerem sua arte, e a cada dia buscam novas técnicas para revolucionar os desenhos. Existem alguns grafites aqui no Rio que ao olharmos as pessoas que estão pintadas parecem mesmo que são reais.


Muitas escolas usam o grafite como estampa de seus muros. | Créditos: brasilescola.com

Muitas escolas usam o grafite como estampa de seus muros. | Créditos: brasilescola.com


Um exemplo de pichador que largou o piche pelo grafite, é o artista Fábio Guimarães da Silva, conhecido como Ema, da cidade de São Gonçalo. Ele hoje preside uma ONG que ensina a arte para crianças carentes, e costuma também se apresentar durante os shows do Rappa fazendo grafites. Mas assim como o grafite é a evolução do piche, podemos considerar a aerografia uma evolução do grafite.


Aerografia ou airbrush


A aerografia, ou airbrush, é a maneira de fazer desenhos com uma caneta que tem um pequeno reservatório de tinta e uma mangueira ligada a um compressor; o efeito final é o mesmo do spray (o spray é usado pra pichar, já o grafite começou com spray e logo os grafiteiros passaram a usar também pistolas, compressores e rolos de pintura). A aerografia é muito usada para fazer desenhos em camisas e bandeiras de torcidas organizadas, porém há um tempo já chegou as galerias de arte do mundo todo. No início houve uma certa rejeição, mas logo rompeu as barreiras e “ganhou o mundo”.


Em minha adolescência conheci três caras que eram feras, tanto na arte do grafite quanto da aerografia, e já fizeram muitas bandeiras, camisas e muros. Seus nomes artísticos – Raia, Graveto e Careta – tinham ponto fixo no camelódromo da Uruguaiana, centro do Rio. Hoje esse ponto já não existe, mas ali também foi palco de muita arte.


Pichar é crime!


É claro que pichar é ilegal e da à impressão de sujeira, porém ao passar por um nome em alguma parte da cidade, você agora vai saber que tem muito mais história ali do que se podia imaginar.

Alan "Mkd" Ribeiro
Alan Miranda Ribeiro é casado, vendedor apaixonado pela profissão e escritor nas horas vagas. Atuante também no meio musical, é conhecido como Alan "Mkd", rapper engajado em mostrar a realidade do país, relatando fatos, protestos, amor e poesia em suas letras.

Leia também...

 
Dê mais vida a Feedback Mag., para sua imagem aparecer ao lado de seu nome nos comentários, cadastre-se no Gravatar usando o mesmo e-mail com o qual você comenta aqui na revista. Leva 2 minutos.
 
  • Phfranco-14

    Belo texto.

    Respondendo a pergunta, sou a favor do grafite mas não da pichação. 

    • AlanRibeiro

      Muito Obrigado Phfranco,desculpe a demora em responder eu
      estava meio enrolado, porem fico muito Feliz quando acompanham nosso trabalho e
      aproveito para te convidar para conhecer outros Artigos Maravilhosos que a
      Feedback apresenta.  E principalmente
      expor sua opinião afinal isso é o que mais importa. Forte Abraço.