Os Espetaculares Coadjuvantes do Homem-Aranha

Os Espetaculares Coadjuvantes do Homem-Aranha

2

Em todas as histórias existem os personagens pricipais, heróis ou vilões, que são responsáveis pelo eixo principal de cada história, porém, em torno deles sempre existem os coadjuvantes. Esse personages que servem para dar apoio à história, às vezes roubam a cena por serem interessantes, bem elaborados ou mesmo carismáticos. Nas histórias do Homem-Aranha eles não foram poucos e todos tiveram importância na vida de Peter Parker, tanto quanto na vida do Homem-Aranha. Abaixo vai a lista de alguns que são lembrados até hoje pelos leitores.


Tia May (May Reilly Parker) – Quando os pais de Peter Parker morreram em um acidente de avião, a custódio dele foi passada para os seus tios May e Ben Parker. A Tia May teve e tem grande importância na vida do Homem-Aranha, por que são com as fotos que ele vende para o Clarim Diário que ele consegue ajudar a sua Tia a pagar as contas. Além disso, existem várias histórias em que May corre riscos por causa da identidade secreta de seu sobrinho. Em uma delas, memorável por sinal, May Parker quase se casa com o vilão Dr. Octopus, sendo a cerimônia interrompida na última hora por um ataque do Cabeça de Martelo.


Tia May.

Tia May.


Tio Ben (Benjamin Parker) – Quando Richard, o irmão de Ben, e sua mulher Mary morreram em um acidente de avião, Ben e May decidiram criar o seu sobrinho Peter, como se fosse seu próprio filho. Anos depois, Ben é assassinado por um ladrão que assaltava sua casa, ladrão esse que Peter Paker não deteu quando teve a chance. Foi este acontecimento que fez Peter Paker seguir a vida de herói.


Tio Ben.

Tio Ben.


Betty Brant – Aqueles que só viram os filmes e desenhos do Homem-Aranha podem achar que a primeira namorada de Peter Parker foi Mary Jane, porém nas histórias em quadrinhos na verdade foi Betty Brant, a secretária de J. Jonah Jameson, o editor do Clarim Diário, onde Peter Parker vendia suas fotos. Ela foi interpretada pela atriz Elizabeth Banks na trilogia de Sam Raimi, porém teve uma participação pequena em cada um deles, sendo sempre um coadjuvante de pouco peso. Para os fãs, a aparição já rendeu uma boa homenagem para a personagem.


Betty Brant.

Betty Brant.


Gwen Stacy – Apesar de Betty Brant ser a primeira namorada de Peter Parker, o seu primeiro amor foi sem dúvidas Gwendolyne “Gwen” Stacy. Ela era a garota mais bela e popular da Universidade Empire State, o que no início deixou o jovem Peter Parker sem muitas esperanças por ele ser nerd e muito tímido. Mas depois de algum tempo eles vieram a ter um relacionamento. Com a descoberta da identidade secreta do Homem-Aranha pelo Duende Verde, um dos seus maiores inimigos, Gwen é sequestrada e jogada da Ponte do Brooklyn. Infelizmente o Homem-Aranha não consegue salvar a vida de sua amada, e depois da morte do tio Ben, esse é um dos maiores dramas na vida de Peter Parker. Nessa mesma história morre o Duende Verde original (que só volta aos quadrinhos quase 30 anos depois), isso acontece em The Amazing Spider-Man #121 (junho de 1973). Ela teve uma participação pequena no cinema em Homem-Aranha 3 (Spider-Man 3- 2007), porém o filme não faz uma menção realmente honrosa a personagem.


Já no próximo filme da franquia, O Espetacular Homem-Aranha (The Amazing Spider-Man – 2012), ela será retratada como a primeira namorada de Peter Parker, e fica a pergunta: Será que ela irá morrer em algum momento da franquia? Só assistindo os filmes para saber.


A bela Gwen Stacy.

A bela Gwen Stacy.


Mary Jane Watson – Ela foi introduzida em The Amazing Spider-Man #42 (1966) com a intenção de ser o novo par romântico de Peter Parker depois que seu relacionamento com Betty Brant acabou, porém com a demora dos roteiristas para decidir como seria sua aparência, Gwen Stacy acabou se tornando a segunda namorada de Peter. Com a morte de Gwen, Mary Jane se tornou a sua nova namorada e posteriormente veio a se casar com Parker – pouco depois de descobrir a sua identidade secreta. Depois de anos juntos, os editores da Marvel decidiram que seria melhor para as histórias se os dois não tivessem se casado. Então após a saga Guerra Civil, onde a tia May é ferida e fica a beira da morte, é oferecido para o casal um pacto com o demônio Mephisto. Em troca da cura da tia May e do esquecimento por todos da identidade secreta do Homem-Aranha, que foi revelado durante a Saga, eles teriam que esquecer que foram casados. Sem opções, Peter aceita o pacto e como se nada tivesse acontecido, acorda em sua casa, com sua tia, sem nenhuma lembrança do que ocorreu e de que foi casado com Mary Jane.


Mary Jane Watson. Sim, ruiva e de olhos verdes.

Mary Jane Watson. Sim, ruiva e de olhos verdes.


Flash Thompson – Eugene “Flash” Thompson é um ex-colega dos tempos de colégio de Peter Paker. Ex-colega, por que esse é o melhor termo que se pode usar para defini-lo, já que ele vivia incomodando Parker durante o colegial, fazendo bullying com o nosso herói. Ele era o clássico aluno popular, por ser um excelente atleta e jogador de futebol americano. Ele era também fã do Homem-Aranha, sem saber que Peter e o escalador de paredes eram a mesma pessoa. Certa vez ele vestiu o uniforme do Homem-Aranha e acabou sendo confundindo com o herói, foi sequestrado pelo Doutor Destino.


Flash Thompson, nos tempos do colegial.

Flash Thompson, nos tempos do colegial.


Com o passar dos anos Flash se tornou amigo de Parker e contou com a sua ajuda para se ver livre do alcoolismo. Recentemente Thompson perdeu as pernas lutando na guerra do Iraque, e voltou para os Estados Unidos onde é convidado para participar de um projeto onde ele utilizaria o mesmo simbionte que foi do Homem-Aranha para se tornar o novo Venom. Isso ocorre em Amazing Spider-Man 654. Ao utilizar o traje, não só Flash tem poderes parecidos com os do Homem-Aranha, mas ele também pode regenerar suas pernas, sendo que se ele passar mais de 48 horas com o simbionte, corre o risco de perder o controle sobre ele.


Thompson ao retornar da guerra.

Thompson ao retornar da guerra.


Harry Osborn – Sua primeira aparição foi em The Amazing Spider-Man #31 (dezembro de 1965), como um amigo de faculdade de Peter Parker. Harry chegou dividir um quarto com Peter durante esse período. Para quem ainda não ligou o sobre nome a pessoa, Harry é nada mais nada menos do que filho de Norman Osborn, o Duende Verde original. Após a morte de seu pai, ele encontra todo o equipamento utilizado escondido em um quarto da mansão em que eles viviam, e descobre que seu pai era na verdade um vilão. Com a intensão de se vigar do Homem-Aranha, já que presenciou toda a luta final entre o Duende Verde e o Aranha, Harry assume o legado do pai se tornando o segundo Duende Verde.


Com o passar dos anos e com a ajuda de Peter Parker e outros amigos, ele consegue superar a sua loucura e o vício em drogas e consegue retomar a sua sanidade, casando-se com Liz Allan, com quem teve um filho que batizaram de Norman em homenagem ao avô (como se já não bastasse um na família). Durante a saga Inferno, evento que afetou todas as revistas da Marvel, Harry volta a se tornar o Duende Verde, enlouquecendo novamente. Ele prende Parker na mansão de seu falecido pai, onde implantou várias bombas. Porém quando Mary Jane chega com seu filho Norman, ele acaba por recobrar parte de sua sanidade e tenta salvar Peter e outras pessoas que ele havia aprisionado. Com o esforço Harry acaba morrendo, depois de conseguir colocar todos em segurança. Porém nos quadrinhos a morte é só um detalhe, Harry Osborn volta à vida na saga “Um Novo Dia”.


A justificativa de sua ressureição seria o fator de cura do soro do Duende, que não o deixaria morrer, da mesma forma que acontece com o seu pai Norman Osborn. A explicação para o seu “desaparecimento” das histórias seria que ele passou todos esses anos na Europa. Atualmente ele faz parte das histórias do Homem-Aranha como se nada tivesse acontecido.


Harry Osborn.

Harry Osborn.


J.J. Jameson – Se existe uma figura que durante os anos deu tanto, ou até mais trabalho do que os vilões para o Homem-Aranha, com certeza foi o dono do jornal Clarim Diário J. Jonah Jameson. Sua primeira aparição foi em The Amazing Spider-Man #1 (março de 1963). Após sua primeira esposa ser morta por um homem mascarado, Jameson passou a ter aversão por todos aqueles que escondem a verdadeira identidade, isso explica a sua perseguição ao Homem-Aranha e outros heróis mascarados nas páginas do Clarim Diário, sempre colocando os heróis como vilãos. J.J. foi salvo da morte em diversas ocasiões pelo Aranha, porém nunca agradeceu e nunca parou de prossegui-lo. Na saga Guerra Civil, onde Peter revela sua identidade secreta, o editor do Clarim Diário simplesmente desmaia na frente de todos, em seguida ele o demite e entra com um processo contra seu ex-funcionário.


Uma das características mais marcantes de Jameson é o fato dele ser um grande pão duro, sempre se negando a dar aumentos ou mesmo pagar o real valor pelas fotos que Parker leva até o seu Jornal. Essa parte de sua personalidade foi muito bem explorada nos filmes. Apesar dele não ser um personagem de grande destaque nos filmes, rouba as cenas toda vez que aparece.


O sovina J.J. Jameson.

O sovina J.J. Jameson.


Existem outros personagens que durante vários e vários anos fizeram as histórias do Homem-Aranha mais emocionantes. A lista é longa demais para ser resumida em apenas um artigo e sempre fica alguém de fora, são mais de 50 anos de histórias e aventuras.


Uma história para cada pata


No último artigo da série que comemora o lançamento da nova franquia do Homem-Aranha nos cinemas, iremos relembrar oitos histórias (afinal, estamos falando de um aracnídeo) que todo fã do Cabeça de Teia deve ler.

Carlos Nani
Carlos Eduardo Nani é fã de cinema, quadrinhos, rock, livros, ciência e tudo mais que possa gerar um bom debate e novas ideias. Estudante do 5º período de Comunicação Social na Universidade Augusto Motta, com habilitação em Publicidade.

Leia também...

 
Dê mais vida a Feedback Mag., para sua imagem aparecer ao lado de seu nome nos comentários, cadastre-se no Gravatar usando o mesmo e-mail com o qual você comenta aqui na revista. Leva 2 minutos.
 
  • http://www.feedbackmag.com.br Fernando Henriques

    Parabéns Carlos, parabéns mesmo. Rolou muita informação no texto que eu não tinha nem ideia, como a história da Gwen. Muito bom!

  • Ricardos martins

    Os coadjuvantes de Peter Parker são um show a parte, um bem legal também é o editor Joe Roberson, que sempre parecia suspeitar da identidade secreta de Parker mas nunca entregava se sabia ou não.