O candidato do Marcelo Adnet

O candidato do Marcelo Adnet

5

Marcelo Adnet, como bom humorista que é, apoia a candidatura do xará Marcelo Freixo à prefeitura do Rio. Certamente, uma de suas melhores piadas.

 

Pois é, Marcelo Freixo, do PSOL, anunciou oficialmente no último final de semana aquilo que todo mundo já sabia: será candidato à prefeito do Rio de Janeiro em 2016. Dada a obviedade da notícia – o homem está em campanha desde seu primeiro mandato de deputado estadual, em 2007 -, ative minha atenção a dois frequentadores do evento de lançamento da pré-candidatura. Não por acaso, dois humoristas.

 

Ver Marcelo Adnet e João Vicente de Castro, um dos cinco criadores do “Porta dos Fundos”, ou seja, humorista como Adnet, ou quase isso, como personalidades importantes a apoiar Freixo diz tanto sobre eles quanto sobre o próprio Freixo.

 

Do político, já sabemos desde 2012 o quão eficiente é em seduzir artistas para sua causa, ainda que nenhum deles sabia ao certo que causa é esta, a não ser que é linda e pura (sic). Dos humoristas, já sabíamos, apesar de existir quem negue, que são hábeis em angariar risos. O que ninguém entende é a conexão entre uma coisa e outra.

 

Não querem nossos risos dessa vez? Querem o quê, então? Quando se fala de política, o que Adnet ou Castro tem a nos oferecer, que referende uma foto com eles e agregue valor a uma campanha política? Será que entendem de economia? Urbanismo? Segurança Pública? Não, não e não. Mas entendem e sabem muito bem como tirar uma bela foto.

 

Marcelo Freixo é bom político e faz o cálculo certo, com o que tem. Debaixo de uma ideologia fadada ao fracasso, como comprova a História, pouco cita casos concretos ou defende conceitos históricos do Socialismo, que o PSOL carrega no nome – e isto não quer dizer que de fato não o seja, um socialista, não se engane. Dentro de um partido contrário ao financiamento de campanha por empresas, especialmente se construtoras e bancos, e que historicamente só aceita apoio e faz aliança com quem está mais à esquerda ainda do espectro político, como o PSTU, Freixo sabe que precisa contar com meia dúzia de artistas bocós, românticos por natureza e completamente ignorantes, fora de suas áreas de atuação.

 

O problema é que tirar uma foto com Adnet, e, pior ainda, com o filho de Tarso de Castro (o maior adjetivo que se pode dar ao menino João), não significa nada politicamente. Talvez eleitoralmente, como quer Freixo, mas diria que nem isso.

 

Freixo espreme os limões que tem, mas espera que quem faça uma grande limonada é você, jovem ignorante político (alguns mais cruéis diriam “idiota útil”), que coloca sobrenome de Guarani-Kaiowá no Facebook, repete o mantra “Eu fecho com Freixo” e até late, se o Cacique – Marcelo Freixo – mandar.

 

Isto mesmo, quem fará esta campanha é você, que não entende nada de política, que não sabe ao certo o que Freixo defende e o que ele fará, além de criticar o PMDB (nada mais blasé) e dizer platitudes como “temos que conversar” e “quero abrir um diálogo com a sociedade civil”.

 

Qualquer “iniciado” sabe que esta sociedade civil que dialogará com Freixo é seleta, bem seleta mesmo. Eu, por exemplo, não a integro, apesar de rigoroso pagador de impostos. Você, que o ajudará financeiramente (ele aceita qualquer 10 reais), inclusive, quem sabe?

 

Mas não se irrite e não me xingue antes do tempo. Mostre-me porque apoia Freixo, mostre-me quais são suas ideias que aprecia, além da retórica potente com que critica Sérgio Cabral e Eduardo Paes. Mostre-me que você sabe um pouco mais do que latir nas redes sociais e de repente posso crer que realmente sabe o que está fazendo, porque Adnet, tenho certeza, não sabe.

 

Em entrevista à Rica Perrone, aquele mesmo do Futebol, em Fevereiro deste ano, Adnet respondeu o seguinte, quando Rica pediu que escolhesse entre Capitalismo e Socialismo:

 

“Filho da puta [sussurrando]. Capitalismo… Me fez responder “Capitalismo”, olha como eu mudei. Puta, que merda!”

 

Ele está confuso, senhores. Diria que, por demais confuso. Espero que você não.

Fernando Henriques
Idealizador e editor desta revista, Fernando Henriques é um consumista informacional. Formado bacharel em Ciências da Computação, encontra na Comunicação um elo natural. Viciado em séries, filmes, rock, MMA, política e desafios.

Leia também...

 
Dê mais vida a Feedback Mag., para sua imagem aparecer ao lado de seu nome nos comentários, cadastre-se no Gravatar usando o mesmo e-mail com o qual você comenta aqui na revista. Leva 2 minutos.
 
  • Daniel Tavares

    Do céu ao inferno! Se o Romário vier para esse duelo, será Davi contra Golias!

    • http://www.feedbackmag.com.br Fernando Henriques

      E o Romário seria o Golias?

  • Leonardo Tigro

    O Bolsonaro não será mais candidato?

    • http://www.feedbackmag.com.br Fernando Henriques

      Ainda é só uma ideia.

      • Leonardo Tigro

        Se for só uma ideia é melhor que se decida logo, os candidatos habituais já estão esquentando os motores do populismo.