Não está fácil ser gostosa

Não está fácil ser gostosa

19

Por mais que todo mundo saiba que o ideal é se cuidar, por mais que sejam divulgados todos os benefícios do casamento “alimentação saudável + exercício físico”, sempre vai ter aquele grupo de pessoas desclassificando ou diminuindo quem leva a sério tudo isso. Parece que junto com os eletrólitos alguns neurônios se perdem durante a transpiração, logo, quem malha é burro.

 

Se você “perde o seu tempo” com horas semanais na academia, você é um desocupado. Poderia estar lendo um livro, ou fazendo algo de bom para a humanidade. Como você é egoísta, isso não te envergonha? “O que? Você quer ser gostosa? Nossa, que vulgar! Ser gostosa é coisa de piriguete! Mulher direita não tem bunda, é magra, mas com cérebro!” (E deve ser por isso que evacua pela boca, falando umas besteiras dessas. Se tivesse bunda, era só dar descarga. Como não tem, a gente ouve isso por aí.)

 

O mais engraçado é que muita destas pessoas que gostam de julgar quem leva a academia ou qualquer outro esporte como uma filosofia de vida nunca praticou tal atividade. E, se praticou, não teve sucesso. Sabe por quê? Não levou à serio. “Estou na academia só para tonificar, não quero ter perna de jogador de futebol. Musculação? Deus me livre! Quero ser feminina. Não quero ser a Gracyanne ‘Conan’ Barbosa.” E nem vai Gata, sabe por quê? Porque a Con… Gracy malha há anos e já tomou muitos produtos proibidos pela FDA nessa vida. Não vai ser uma série de 10 ou 12 repetições 4x na semana que vai te deixar daquele tamanho. E digo mais: ficar eternamente levantando pesinho de 2kg vai te deixar flácida, insatisfeita e desiludida com uma das atividades que mais podem mudar o seu corpo: a musculação! Quando estiver na academia, pegue pesado! Você está lá para ficar gostosa, se for pra ficar “bem consigo mesma” é melhor partir para a terapia!

 

Ok, vamos voltar para aqueles que abominam a gostosura. Concordo que cada um tem o seu padrão de beleza e nem todas querem ser a Sabrina Sato ou a Gisele Bündchen, porém o nosso corpo é a ferramenta perfeita que nos leva a todos os lugares. Desde o nosso nascimento até a hora de nossa morte (Amém?). Portanto, cuidar dele é sim uma atitude inteligente. Sentir-se bem, sentir-se capaz, expandir seus limites, todos estes quesitos são benefícios dos exercícios físicos. Uma pele mais bonita, ossos mais fortes, uma boa imunidade, longevidade… Resultados de uma alimentação equilibrada. E veja bem, eu disse equilibrada e não restritiva.

 

Não importa qual o seu padrão de beleza: Cuidar do corpo é sinal de inteligência!

Não importa qual o seu padrão de beleza: Cuidar do corpo é sinal de inteligência!

 

É lógico que um corpo bonito não basta, tem que ter conteúdo. Afinal, querendo ou não a nossa forma física muda com o passar dos anos; e veja que coisa linda: a nossa forma de pensar também! Espero que a partir de agora, antes de julgar quem se dedica a cuidar do próprio corpo, você passe a admirar quem faz isso. Essa pessoa também trabalha, também estuda, também se estressa, também tem prazos e mesmo com isso tudo, ela arranja um tempo para cuidar de si mesma.

 

Como diria Ivan Martins: “O corpo que faz exercícios. O corpo que faz sexo. O corpo que trabalha, pensa, estuda. Um corpo inteiro na vida, em todas as suas dimensões. Um corpo capaz de ser feliz, em todos os sentidos.”

Jéssica Mendes
Carioca da Barra da Tijuca, 25 anos, dentista especializada em prótese. Porém, como o mercado odontológico tá mais caído que dentadura velha, tento fazer as pessoas rirem de outra forma... Por incrível que pareça, acredito no amor. Para maiores desilusões, acessem: Desiludindo S/A.

Leia também...

 
Dê mais vida a Feedback Mag., para sua imagem aparecer ao lado de seu nome nos comentários, cadastre-se no Gravatar usando o mesmo e-mail com o qual você comenta aqui na revista. Leva 2 minutos.
 
  • http://twitter.com/Jujubex Jack Tequila

    A Jéssica arrasa nos textos. Um pssiu daqueles pra quem só fala merda.

    • http://www.feedbackmag.com.br Fernando Henriques

      Ela é sinistra!

  • Camila

    Não concordo. Concordo com a parte de que a pessoa não vai virar uma Sabrina Sato puxando pesinho 4x por semana. Mas acho que a pessoa pode fazer a academia pra conseguir qualidade de vida sem precisar ficar verdadeiramente ‘gostosa’. Afinal, ser gostosa não é o objetivo de vida de qualquer mulher, não.

    • Jéssica Mendes

      Camila, eu acho sim que toda mulher quer ser gostosa. Mas para algumas ser gostosa é ser magrinha. Para outras, é ser atlética. E é disso que eu falo no final do texto. E em momento algum eu falei em “objetivo de vida”, mas sim em um complemento. Mente sã e corpo são, tudo em harmonia e equilíbrio de acordo com a filosofia de vida de cada um.

      • http://aprendiasergente.blogspot.com/ Letícia

        Jéssica,
        O que eu discordo é que toda mulher quer ser algum tipo de gostosa. Eu conheço muita mulher que tem um genuíno preconceito não só com quem malha, mas com quem usa maquiagem ou está sempre bem vestida. E o que eu percebo nessas mulheres é que elas associam inteligência à falta de cuidados com o próprio corpo e imagem; uma coisa como se propositalmente não ser gostosa validasse a inteligência da mulher. E entre essas mulheres vejo um ar de superioridade, uma atitude de peternalismo em relação à mulher que, de fato, quer ser gostosa.
        (p.s.: eu quero ser gostosa, mas não estou exatamente tentando, portanto não me encaixaria entre as oprimidas nem as opressoras nesse depoimento rs).

      • Rúbia

        E, para algumas, ser gostosa é ser inteligente, saber falar, calar, entender. Saber ler, saber escrever, saber pensar. Saber comer bem, e cuidar do corpo. Saber descansar e curtir. Saber correr e parar. Muito limitado esse seu pensamento. Me exercito como posso, quando posso. Mas a minha mente? Pra ela não abro exceção. Sei que o corpo está ligado à mente, portanto seleciono o que como eu não vivo uma vida sedentária. Isso não quer dizer que quero ser gostosa. Possuo o meu corpo, ele não é dono de mim. E faz tempo que não sou mais escrava desse pensamento aí, que você apregoa.
        E me ofendo muito mais por uma burrice do que por uma celulite. Coisa rara hoje em dia!

        • Rúbia

          E que o primeiro gostosa seja lido com grandes e destacadas aspas. rs

        • Jéssica Mendes

          Rúbia, acredite ou não eu estava esperando exatamente uma resposta como a sua!

          Fico impressionada em como algumas mulheres se ofendem com um “gostosa”. E olha que ainda tentei deixar bem claro que esse “gostosa” tem suas variações de acordo com o gosto de cada um (gordelícia, saradona, rasgada, magrinha…) mas parece que não fui bem clara né?

          Olha, até onde eu sei, todos os seres humanos nascem com cérebro e músculos e ambos, se não forem exercitados, atrofiam. A palavra é equilíbrio. Se você sabe tudo sobre política, filosofia, história, metafísica e ainda sim tem uma alimentação rica em gordura e uma vida sedentária, sinto muito, mas você não me parece tão inteligente assim…

          Eu acho que você se ofendeu demais para alguém que joga no mesmo time que eu… (que se exercita quando pode, que não nega uma boa sobremesa e sabe que ser bonita vai além da forma física) e além disso tudo, sabe pensar, se expressar e… escrever. Não é?

          • Rúbia

            Jéssica, entendo o que você está tentando dizer (eu acho). Mas vamos lá: o que é ser gostosa para você? Hoje as pessoas procuram novos significados para palavras antigas. Usam as mesmas palavras, os mesmos conceitos, e querem ser entendidos de um jeito diferente. Gostosa para mim é a mulher que provoca um interesse sexual baseando-se no seu corpo. Para alguns, gostosa é a modelo estilo “angel”. Para outros, a panicat. Há ainda os que gostam do meio termo. E por aí vai. Mas sempre baseando-se no corpo. Nunca na mente. Partindo daí, querer ser gostosa é querer ser desejada e admirada, com uma conotação sexual, a partir do seu corpo. E não, eu não quero ser gostosa. Não tenho interesse (e até me irrito até) em ter os famigerados pedreiros assoviando quando eu passo. Acredito que este comportamento é consequência do conceito mulher-objeto que tanto se tentou combater mas está sempre mais forte. Se você quer falar sobre academia e inteligência, não precisa falar de gostosa. Se você quer falar de moda e futilidade, não precisa falar de modelos de passarela. Eu não me ofendi, pra dizer a verdade. Só acho um desperdício não promover um debate de verdade num espaço que é acessado pelas pessoas, que tem voz. Eu não como carne, não tomo refrigerante, uso pouquíssimo açúcar, prefiro integrais, evito leite, ovos, queijo e manteiga, vou à academia, faço pilates e caminho sempre que posso. Mas não faço isso para ser gostosa, ou para que um homem me deseje mais amanhã do que me deseja hoje. Faço por quê acredito na vida saudável, no equilíbrio, no corpo e na mente. E acredito que levantar essa bandeira é mais importante do que dizer que é preciso ser gostosa além de ser inteligente. Fins… Além dos meios. Mas, apesar de tudo, acredito que você tem um pensamento relativamente parecido com o meu. Relativamente.

          • Jéssica Mendes

            acho que entendi: você é feminista. rs

          • Rúbia

            Mais um estereótipo… hahahaha Não… Sou casada, trabalho fora, cuido de casa, faço compras, gosto de bolsas, sapatos e maquiagem, vou ao cabeleireiro e me arrependo depois da barra de chocolate como qualquer mortal. rs Só acredito que ninguém tem que se matar pra agradar aos outros e aos conceitos que se impõe por aí. São pesados demais… Tira a leveza e a felicidade. Preciso agradar a mim, ao que vejo no espelho. Aí o resto é consequência. :)
            É isso! Pra ser sincera, escrevi tanto que já estou me achando uma chata!! hahahahaha Tenha um bom dia! ;)

          • http://www.feedbackmag.com.br Fernando Henriques

            Rúbia, você não está pagando de chata, dialogar é sempre bom, discordando melhor ainda. Agora, se me permite se meter no papo das damas, achei engraçado você apontar a suposta utilização de esteriótipos pela Jéssica, quando entendi que o texto dela é também contra isso. E também, quando você mesma utiliza o maior deles na questão, que é entender que toda mulher que malha e cuida do corpo está se matando “pra agradar aos outros e aos conceitos que se impõe por aí”.

            Este texto se impõe exatamente contra isso, e afirma que o ato de malhar deve ser por você e não meramente por uma opção por beleza, mas por questão de inteligência.

            Essa é a grande mensagem do texto, que é sim anti-esteriótipos: Cuidar do corpo é também uma questão de inteligência.

            Generalistas dirão, como disseram, que gostosas não são automaticamente inteligentes, e não são mesmo, obviamente, mas essa não é a mensagem do texto. Existe um “também” na jogada que passou batido no entendimento de alguns.

  • quézia

    Só não sou ‘gostosa’ pq é dificil , se fosse fácil seria . KKKKKKKK’

    • http://www.feedbackmag.com.br Fernando Henriques

      Pois é, envolve um esforço genuíno.

  • Karina Sousa

    gente, eu sou linda, gostosa, inteligente, rica, divertida, e estou sem nadmorado, tah muito foda

  • Ana Luiza

    Claro que fazer exercícios é fundamental, mas o problema e a crítica é a forma como muitas mulheres estão levando esse “health style”, ou seja, como prioridade, de forma obsessiva e apenas, na sua maioria, preocupadas com o resultado físico.

    Ser saudável virou moda, virou assunto principal, virou obrigação, mas acho que esqueceram de avisar que o “health style” tem que fazer bem para mente também e não só para o corpo. Uma vida saudável é uma vida sem vícios, seja de academia ou seja de chocolate.

    O segredo para a felicidade e para a saúde ainda é o equilíbrio. Ah, e claro, se desligar um pouco do mundp digital enquanto está fazendo os exercícios, afinal a ideia é relaxar.

    • Guest

      Concordo com você Ana Luiza. Por isso inclui o trecho:

    • Jéssica Mendes

      Concordo com você Ana Luiza, por isso inclui o trecho ““Estou na academia só para tonificar, não quero ter perna de jogador de futebol. Musculação? Deus me livre! Quero ser feminina. Não quero ser a Gracyanne ‘Conan’ Barbosa.””

      A Gracyanne é um ótimo exemplo de quem fez da musculação um estilo de vida. E não é porque você vai à academia 3x na semana que vai ficar como ela… isso exige muito esforço e dedicação.

      Gostei do fato de você ter citado o vício no mundo digital. Com certeza ele está contruibuindo para o aumento de número de pessoas, principalmente de crianças, acima do peso. O motivo? Antigamente todo mundo brincava na rua, corria, subia nas árvores… hoje em dia está todo mundo sentadinho com o seu aparelho eletronico em uma mão e um hamburguer na outra. Alguns pais tomam até medidas ‘drásticas’ como proibir o uso de aparelhos eletronicos quando os filhos recebem os amigos em casa, para forçá-los a interagir com o coleguinha. Lamentável.

  • Cida Santos

    Boa jéssica eh muito difícil viver num mundo onde só vem o seu corpo, mais não adianta ter um belo corpo e ser cabeça fazia. parabéns ótima matéria a Feedback arrasando como sempre.