Inveja

Inveja

10

Todo mundo conhece um invejoso e um invejado, porém, esse segundo é mais fácil de ser identificado – por incrível que pareça. É aquela pessoa que carrega consigo pingentes de pimenta, olhos gregos, trevos. É o tipo que está sempre comentando como as coisas na vida dela dão errado por causa do olho gordo do outro. Não, peraí, acho que está errado isso…

 

Engraçado como as pessoas se auto intitulam dignas da inveja alheia. Será que elas são boas demais? Por que será que nada dá certo? Só pode ser olho gordo! Terminou o namoro, inveja. A unha quebrou, inveja. Não conseguiu o emprego, inveja. Sinceramente?! Isso me cheira muito mais a incapacidade e insegurança. Ou, inveja enrustida como já ouvi por aí.

 

“A inveja pode ser definida como uma vontade frustrada de possuir os atributos ou qualidades de um outro ser, pois aquele que deseja tais virtudes é incapaz de alcançá-la, seja pela incompetência e limitação física ou intelectual.” (Wikipédia)

 

Traduzindo: a pessoa até pode ser bonita, talentosa e inteligente, mas de nada adianta se for incompetente. E não entende como pessoas “menos” bonitas, “menos” inteligentes, e “sem talento” dão certo. Ou seja, ainda é arrogante, e jamais vai entender aonde está errando e por isso procurará meios místicos para justificar a sua falha, quando na verdade, ninguém tem nada a ver com isso.

 

Não se sinta tão especial, você nem é tão importante assim.

Não se sinta tão especial, você nem é tão importante assim.

 

Vejam bem, não estou dizendo que inveja de verdade não exista, mas acho que depois do amor, é o sentimento que as pessoas mais confundem por aí. Tem gente invejosa por todo canto e temos que saber como lidar com elas. Muitas vezes até nos afastando. Mas é bom saber identificar – aliás, reconhecer – esse sentimento que também pode existir dentro de nós mesmos. Minhas conclusões:

 

Invejoso não é aquele que te critica, ou fala algumas verdade na sua cara. Isso pode ser apenas um alerta, alguém que quer que você deixe de errar e comece a acertar. Ou seja, aquela sua amiga grossa, super crítica, intolerante, não tem necessariamente inveja de você. Ela só não sabe ser fofa.

 

Invejoso não é aquele que te copia em alguma coisa. Isso pode ser admiração, a pessoa pode estar te usando como referência, um ícone, um padrão a ser alcançado. Aquela garota da sua faculdade que apareceu com o mesmo corte de cabelo, unha, bolsa ou sapato pode apenas ter gostado do que viu e adotado o mesmo estilo. Infelizmente vocês circulam pelo mesmo lugar. Isso não quer dizer que ela te inveje.

 

Inveja? Mesmo?

Inveja? Mesmo?

 

Acredito que a inveja verdadeira acontece quando o outro é incapaz de reconhecer o talento alheio, por menor ou mais “bruto” que seja. É aquela pessoa que diminui o que você faz quando ela mesma não faz nada nem parecido.

Jéssica Mendes
Carioca da Barra da Tijuca, 25 anos, dentista especializada em prótese. Porém, como o mercado odontológico tá mais caído que dentadura velha, tento fazer as pessoas rirem de outra forma... Por incrível que pareça, acredito no amor. Para maiores desilusões, acessem: Desiludindo S/A.

Leia também...

 
Dê mais vida a Feedback Mag., para sua imagem aparecer ao lado de seu nome nos comentários, cadastre-se no Gravatar usando o mesmo e-mail com o qual você comenta aqui na revista. Leva 2 minutos.
 
  • Rodrigo Cotton

    Convenhamos que, é muito mais simples culpar a inveja alheia pelo fracasso que admitir ser a causa dele. O ser humano é assim, utiliza sempre a máxima do Homer: A culpa é minha e eu ponho em quem eu quiser. Penso que isso é patético, mas… fazer o que?

  • http://www.feedbackmag.com.br Fernando Henriques

    Apesar de ser mais comum no universo feminino, os homens também sofrem dessa confusão pensando que o estão invejando. O pessoal da maromba acha que todo mundo quer a carcaça que ele tem, os pessoal “cabeça”, subjuga o pessoal da maromba e acha que são diferentes porque não tem condições de ser como eles. E por aí vai, uma eterna confusão de sentimentos.

    • Jéssica Mendes

      Nossa Fernando, o que você disse é MUITO verdade!!! Tem muito marombeiro que acha que qualquer coisa é inveja de um abdome trincado. E tem muito intelectual que acha que só porque o cara puxa ferro, não sabe abrir um livro. 

      • http://www.feedbackmag.com.br Fernando Henriques

        Esses intelectuais tem um conceito atrasado, hoje em dia tem até nerd fitness. Viciado em se exercitar, que sabe tudo do assunto, que dá dicas a amigos e faz exercícios que ninguém faz. É um nerd fitness, rs.

        • Jéssica Mendes

          nerd fitness: sou eu :(

          hahahahahahaha

  • Profa Deise

    Qual é a fonte ou especialista que diz ( ou escreveu) tudo isso?

    • http://www.feedbackmag.com.br Fernando Henriques

      Especialista? A melhor de todas, Jéssica Mendes!

  • Aninha Fulco

    É tudo muito verdadeiro e esclarecedor, mas curiosamente as pessoas que geralmente são rotuladas como invejosas, são desafetos pessoais das mesmas. 

  • http://www.facebook.com/julianaalmeida13 Juliana Almeida

    adorei o ”
    Melhor atriz no papel de Idiota no filme “Não é Isso que Você está Pensando” (2004). Vencedora do Chifre de Ouro Awards de 2006. Atriz Revelação em “Superando a Fossa” (drama de 2010). Coadjuvante no curta “Amiga, Ele não Presta” (2011). Estreante na aventura: “Quatro amigas e um Big Apple viajante” (curta de 2012). Indicada nas categorias: Neurótica, Ciumenta, Maluca, Mal Amada, Trouxa e Amor-da-Minha-Vida.”

    SAHIUSAHUASHAISUHSAUHASUAHSU

    e o texto maravilhoso também!

  • Carolina Rabelo

    Adorei!
    E mais, confesso! Confesso que já me peguei desempenhando os dois papéis: O da invejosa e o da invejada. Já me vi repudiando e rebaixando algo que alguém fez, mas que no fundo eu queria ter feito da mesma forma. E tbm já me peguei comentando sobre fulana que se vestia igual a mim, que copiava meu jeito de falar e gostos pessoais. Me senti ridícula lendo seu texto, pq ele dá um novo olhar às picuinhas que a gente acaba levando a sério do dia a dia. Um olhar mais brando, leve e otimista.. exatamente como deveríamos pensar todos os dias.