Feliz Dia dos Solteiros

Feliz Dia dos Solteiros

6

Você está acostumado com textos de minha autoria que são muito técnicos, embebidos em inúmeras referências e tratando de assuntos “sérios”. Mas hoje minha única referência é minha filosofia de vida e o assunto não é, digamos assim, de suma importância.

 

Hoje é 15 de Agosto e para quem não sabe esse é o dia dos solteiros. Acredito que essa data festiva seja a cara de nossa sociedade moderna. Relacionamentos rápidos que são “bons” enquanto duram… enquanto duram a atração física, o dinheiro, a paixão de adolescente e etc.

 

Antigamente seria difícil se comemorar esse dia. O ideal da sociedade quanto a isso era bem simples: deveríamos constituir uma família. E o conceito de família era marido, mulher e filhos. Com o tempo, isso foi se perdendo e a família deixou de ser tão importante quanto era. Atualmente tem-se sorrateiramente disseminado em nossas mentes um novo conceito de família muito mais abrangente. Alguns consideram isso uma evolução, outros um enorme retrocesso.

 

Qual a sua opinião, evolução ou retrocesso?

Qual a sua opinião, evolução ou retrocesso?

 

A verdade é que independente de minha opinião sobre família, gosto da ideia de estar solteiro. Não porque sou do tipo “pegador” que troca de mulher como quem troca de cueca, e por incrível que pareça, esse tipo deve trocar muito; mas porque estou satisfeito comigo mesmo e com a espera por alguém que valha a pena.

 

Acredito que num relacionamento o que mais conta não é atração física e um prazer passageiro. O que tenho visto por aí são pessoas com medo de se relacionar profundamente e ao mesmo tempo com medo de ficarem sozinhas; como se o relacionamento fosse individual com o intuito única e exclusivo de agradar a um dos dois lados.

 

Acho isso extremamente sem sentido, claro. E o motivo é simples: o relacionamento se constrói com duas pessoas, e se esses pensam da maneira acima referida, uma hora o que era bom vai deixar de ser suficiente para alguém e o relacionamento vai por água abaixo. Trata-se de algo que desde o começo estava fadado ao fracasso.

 

Um relacionamento a dois, em minha concepção, traz embutido em si mesmo uma ideia de serviço. Eu devo servir à minha parceira e vice-versa. E o servir se apresenta de inúmeras formas, desde dar um presente sem data específica a conversar sobre assuntos desconfortáveis quando você deseja somente rir e se divertir.

 

Não é só essa parte que conta, muito menos é a mais importante.

Não é só essa parte que conta, muito menos é a mais importante.

 

Acho que perdemos o senso de abnegação e isso é importante para um relacionamento saudável e duradouro. Saber abrir mão é essencial para o crescimento de um companheirismo sincero. E em minha concepção, o amor, embora difícil de definir, é também um misto de paixão, amizade e companheirismo.

 

Já fui chamado de maluco, idealista e “viadinho” por pensar assim; mas porque me incomodar com o que pensam de mim? A verdade é que um dia estarei feliz e contente com minha esposa e família com toda dor e dificuldade que inevitavelmente venhamos a passar. E não poderei mais celebrar o Dia dos Solteiros como o faço hoje, mas sempre poderei desejar a quem estimo toda a felicidade que a convicção de estar só pode trazer.

 

Feliz dia dos solteiros!

Pedro Henrique Franco
Pedro Henrique da Rocha Franco, nascido em 1991. Cristão, amante da leitura e apaixonado por futebol.

Leia também...

 
Dê mais vida a Feedback Mag., para sua imagem aparecer ao lado de seu nome nos comentários, cadastre-se no Gravatar usando o mesmo e-mail com o qual você comenta aqui na revista. Leva 2 minutos.
 
  • http://www.feedbackmag.com.br Fernando Henriques

    Que lindeza de texto Pedro, mandou muito bem. Gosto dessa entrega em um artigo, principalmente sobre relacionamentos – ainda mais flertando com temas divergentes. Você se expôs, colocou sua opinião e não ofendeu ninguém, apenas deu suas preferências. Que devo confessar, são as minhas também. Somos mais tranquilos, pacatos, quem chama de “viadinho” é bobo, tem pensamento limítrofe.

    “A verdade é que um dia estarei feliz e contente com minha esposa e família com toda dor e dificuldade que inevitavelmente venhamos a passar. ” – Estou nessa fase, bom demais!
    Abraços!

    • Pedro Franco

      XD

  • http://www.facebook.com/profile.php?id=100002066490290 Clarissa Lacerda

    ‘O que tenho visto por aí são pessoas com medo de se relacionar profundamente e ao mesmo tempo com medo de ficarem sozinhas;” Disse tudo mestre Pedro,ótimo texto!

    • Pedro Franco

      Vlw, Clarissa!

  • Rodrigo Cotton

    Tudo verdade. Muito bom texto meu caro amigo.

    • Pedro Franco

      Obrigado!