Em defesa do tabagismo

Em defesa do tabagismo

11

É notório que atualmente quase todo mundo fala mal desse hábito. Raramente encontramos uma pessoa que não é fumante, mas que respeita o hábito. Influenciados por propagandas anti-tabagistas vindas de todos os lados, muitas pessoas acabam desenvolvendo um nojo e um possível ódio aos tabagistas. Você também é assim? Sentemos e coloquemos todas as cartas na mesa.

 

A exclusão dos fumantes

 

Há também um nível de ódio por parte dos que não são fumantes contra quem tem esse hábito. Todo mundo já viu que, quando alguém começa a fumar (hoje em dia só em lugar arejado e olhe lá), pessoas a 10 metros de distância começam a tossir. Ele tosse sem respirar a fumaça, mas o fumante não. Deve ser porque com toda essa propaganda contra o fumo, acabou criando esse nível de ódio. Afinal, provavelmente isso que as pessoas fazem deve ser até inconsciente, pois ela já foi bombardeada com milhares de informações SOMENTE condenando o tabagismo.

 

Existem também pessoas que evitam fumantes pelo cheiro que fica neles por causa do fumo. Bom, a maioria das pessoas que vi que ficam com um cheiro insuportável são aquelas que não sabem apreciar o hábito. Falarei deles já, já. E é muito difícil (quem sabe conduzir o hábito) ficar com um cheiro desagradável. Mas mesmo assim, tem gente que fede, tem mau hálito, fede a comida, fede a animais de estimação e ninguém deixa de ser amigo deles por causa disso, né?

 

O fumante hoje tem que aguentar milhares de chatos que vivem dizendo que “isso faz mal, isso e aquilo” o tempo todo, pois ele é o único que não sabe que faz mal, imagino… Não. De tanto as pessoas serem “informadas” sobre o quanto isso faz mal, sentem a obrigação de alertá-los disso, de salvar uma vida desse hábito maléfico. Porém não movem também um dedo para ajudar um cardíaco que come no Burger King.

 

Propaganda do Governo Federal contra o tabaco.

Propaganda do Governo Federal contra o tabaco.

 

Como isso se torna um hábito?

 

Não nego que 80% dos fumantes iniciaram o hábito por “achar legal”. Geralmente são esses que param de fumar por tanto insistirem de que isso faz mal. Mas os outros 20% fazem parte das pessoas que não buscam ser mais interessantes ou aceitas em um grupo. Essas pessoas são as que realmente sabem apreciar o hábito e não o tornam vulgar.

 

Pra começar, peguemos um exemplo: dois jovens que querem se tornar fumantes. O primeiro pega uns trocados, vai em um barzinho de esquina, compra qualquer um e tenta se mostrar para os outros. Já o segundo, junta dinheiro, pesquisa sobre marcas de todos os tipos de tabaco, vai em uma tabacaria, compra aquele que ele pesquisou e achou melhor (ou que atenderia suas necessidades de gosto, etc.), e o melhor de tudo, não faz questão que todos saibam que ele é fumante.

 

Deu pra entender agora?

 

Como ainda há insistência nisso, sendo que “faz mal”?

 

Isso é o que você acha, cidadão bem informado. Mas se parar e refletir, sozinho, sem ver nenhum estudo “científico”, chegará a pensar que a propaganda anti-tabagista já é, digamos, suspeita. Darei exemplo de uma série de perguntas que podem surgir numa reflexão (elas também servem para outros assuntos):

  • Se fumar faz mal, por que não existe ajuda de instituições ou do Estado como ocorre com viciados em drogas?
  • Por que o tabaco não é proibido de vez?
  • Por que as pessoas que “lucram com a indústria do fumo” não são punidas?
  • Não existe nenhum tipo de benefício no fumo?
  • Por que só se fala mal e nada de nada no hábito é benéfico?
  • Por que, mesmo sabendo que faz mal, pessoas iniciam o hábito?
  • O que essas pessoas ganham com isso?

 

Então, a partir desses questionamentos, você analisa todas os ângulos possíveis e procura estudar. Tanto de quem diz que é ruim tanto de quem diz que é bom (o hábito).

 

Alguns estudos sobre o fumo que você provavelmente desconhece

 

Sim, existem muitos estudos que refutam aquelas fotos que a gente vê em caixas de cigarros, charutos, tabaco, etc. Existem também muitos estudos que dizem sobre muitos benefícios que o fumo traz, principalmente da nicotina. E que aquele pulmão escuro que a gente cansou de ver em todo tipo de mídia é mito.

 

Por exemplo: fumar ajuda a prevenir câncer, estimula a produção da “energia do cérebro”, aumenta a capacidade de raciocínio, concentração, precisão, estimula a atividade intelectual, ajuda a manter a calma, ativação da memória, ajuda no controle do peso, habilidades motoras, além de ajudar a prevenir outas doenças como Alzheimer, Parkinson, Esquizofrenia e Depressão.

 

Ou seja, você que nunca ouviu falar em benefícios do tabagismo pode talvez apelar para o argumento do “Pulmão Negro”. Isso já foi estudado e só quem tem o pulmão assim são trabalhadores de minas. Fora que aqueles pulmões negros que o pessoal faz trabalho na faculdade são falsos pulmões. São pulmões de porcos, só que tratados para ficarem daquele jeito.

 

Olavo de Carvalho aprova esse texto.

Olavo de Carvalho aprova esse texto.

 

Deixo aqui alguns links importantes:

 

- Fumantes que produzem mais: http://www.dengulenegl.dk/English/Nicotine.html;
- A grande mentira do pulmão negro: http://cfrankdavis.wordpress.com/…/06/the-black-lung-lie/;
- Médicos, armas e tabaco. Qual é o mais perigoso? http://youtu.be/fM1gJVuUlNI;
- Fumar ajuda a prevenir câncer: http://www.sott.net/Smoking-Helps-Protect-Against-Lung-Cancer/;
- Benefícios do cigarro: http://fontesinseguras.blogspot.com.br/2011/04/beneficios-do-cigarro.html;
- Verdades globalísticas sobre o consumo de tabaco no mundo: http://youtu.be/jeBZkcZnWuE.

 

Considerações finais

 

É lógico que a intenção não foi defender quem faz parte dos 80%. Eu conheci muitos fumantes que eram ótimos (quando não eram os melhores) atletas, conheci muito fumante velho e saudável e nunca vi nenhum ter nenhuma doença crônica por causa disso. Acredito que existe muita manipulação e forjamento de estatísticas. Falar que um fumante morreu é fácil, agora falar do que ele morreu é bem diferente. Acredito que muitos médicos são ignorantes nesse ponto e, por não saber o que o paciente tem, coloca a culpa no hábito de fumar. Afinal, como eu disse, na universidade mesmo há essa manipulação de dados para formar profissionais com esse pensamento de que faz mal.

 

Há muitas teses científicas sérias para considerar. Antes de dar palpite, estude um pouco. E melhor ainda, não dê palpite. Se ninguém pediu sua opinião, não dê.

Douglas Eduardo
Douglas Eduardo é um Cristão politicamente incorreto. Gosta de criar discussões. Acredita que o debate aperfeiçoa os argumentos e não teme mudar de opinião. É contra o conceito de minorias e até mesmo contra algumas descobertas científicas. "Estude os dois lados de um assunto de maneira tão aprofundada no lado contrário quanto na posição tomada".

Leia também...

 
Dê mais vida a Feedback Mag., para sua imagem aparecer ao lado de seu nome nos comentários, cadastre-se no Gravatar usando o mesmo e-mail com o qual você comenta aqui na revista. Leva 2 minutos.
 
  • Muslim

    Legal cara, é difícil encontrar uma pessoa hoje em dia que desconfie de tanta propaganda anti-fumo! É algo surreal! Praticamente tudo que é comercializado no mundo hoje é nocivo a saúde, de uma forma ou de outra, a depender, inclusive, da predisposição do consumidor! Ora, se o cidadão tem intolerância à lactose, então qualquer produto que contenha lactose será para ele um veneno! Porém nunca se viu uma guerra em proporções tão assustadoras como essa promovida pela OMS (e docilmente seguida por alguns governos do mundo, como o nosso) contra o cigarro!

  • Muslim

    O Estado realmente está preocupado com o seu pulmão? Eu digo que não! Afirmam que a alta carga tributária que assola a indústria tabagista (extrafiscalidade) é uma forma de inibir a produção e a comercialização de cigarros, de tal forma a proteger, ainda que indiretamente, o cidadão. É mais fácil acreditar em Papai Noel! Enquanto a quantidade de fumantes no mundo só tem aumentado, a quantidade de empresas tem permanecido a mesma! Quem já estava consolidado no mercado, permaneceu consolidado no mercado! O que isso significa? MONOPÓLIO! As indústrias tradicionais, com marcas já consolidadas, tem poder econômico suficiente para arcar com o custo da pesada tributação (British American Tobacco e Philip Morris)! Também não necessitam mais de marketing e propaganda! Suas marcas já são mundialmente conhecidas! Agora, imagina a situação de quem quer começar agora a explorar esse produto! Ta ferrado! Como vai conseguir tornar a sua marca conhecida, se não pode se valer de publicidade??? Como vai conseguir suportar o peso da tributação??? É o que eu chamo de autossabotagem estratégica! Isso é crime contra a ordem econômica! Mas camuflado de legalidade por parte do Estado! Maquilado de política pública! 

    Nunca pararam para pensar a razão de tantos artistas, programas de televisão, médicos, ONGs martelarem tanto no tema cigarro? Não seriam eles financiados pela própria indústria tabagista? Gostaria de ver o mesmo esforço de luta contra a falta de saneamento básico, contra a seca, contra a subnutrição, pois esses são os verdadeiros problemas da saúde pública no Brasil!

    • http://www.feedbackmag.com.br Fernando Henriques

      Teoria interessante, Muslim. De verdade. E, linkado a este assunto, é estranho notar que quem é contra o cigarro é a favor da maconha ( http://www.feedbackmag.com.br/esta-na-hora-de-legalizar-a-maconha/ ).

    • Douglas Eduardo

      Isso se chama Capitalismo de Estado, meu amigo. É basicamente isso que você explicou. As empresas que já cresceram fazem parceria com o Estado para ele mesmo acabar com a concorrência. Ambos ganham com isso, pois o Estado faz arrecadações pesadas mas que são mínimas para as empresas grandes; pois o pior perigo para elas é a concorrência.
      E é claro que isso ocorre não só com empresas de tabaco, mas em vários países também onde são conhecidos mundialmente pelo seu “livre mercado”; ou seja, de um tempo pra cá isso foi implantado.
      E no caso do tabaco isso é muito mais exagerado. E porque eu não sei, só sabemos que o tabaco é o produto mais “odiado” do mundo e que a maconha não.
      Foi muito interessante você ressaltar esse ponto de vista.

  • perdimeutempo

    Eu não acredito que eu perdi o meu tempo lendo isso… Tsc tsc….

  • Jean Felipe

    Excelente matéria, era isso que eu tava procurando !!!

  • Leior Magri

    Olha só, nunca fumei na minha vida, tenho 27 anos. Mas eu parei para pensar “cá com os meus botões”. Hoje em dia beber álcool é legal, um hábito divertido e socialmente cultuado… Afinal, todo mundo bebe…. Mas qual vício é pior? Sério, pense bem… O cigarro? Será? Bom, vamos avaliar de forma sábia: álcool e tabaco são vícios, certo, mas o álcool é entorpecente e o tabaco não. Ninguém fica embriagado por fumar, descontrolado ou leso. Alguém já atropelou alguém por ter fumado tabaco e ter ficado descontrolado? Algum homem já bateu em sua esposa e filhos por fumar e ficar louco? Não! Sem dúvida o álcool é um mal muito maior que o cigarro. Creio que muitos leitores conhecem um alcoólatra, alguém que se deixou destruir pelo álcool, perdendo trabalho, família, a vida. Agora, alguém conhece um fumante que perdeu tudo pelo cigarro? E se o cigarro é tão ruim assim, como existe tantos velhos fumantes, pessoas longevas. Meu avô, fumou até os 80 anos, e seus maiores problemas foram com o alcoolismo, que o deixava caído na rua, na sarjeta.

    E agora estão querendo, com muita força, liberar a maconha, que sem dúvida é pior que o álcool. Onde vamos parar?

    Usem o seguinte critério: Basicamente o estado brasileiro só quer nos ferrar, fato! Quer que sejamos coitadinhos e totalmente dependentes dele. Então, olhe tudo que for amplamente divulgado nas grandes mídias com CUIDADO. Sempre pense e reflita, com seus “botões”. Não deixe supostos especialistas lhe manipularem.

    Forte Abraço a todos.

  • Latuk

    … Meio confuso o texto!
    Embora o TABAGISMO SEJA MAIS QUE CONFUSÃO.
    Quem entra neste PORQUE QUER/depois quem ‘tenta sair fica dando uma de coitado’. Além dos MALEFICIOS, GASTO DE DINHEIRO: onde poderia ser usado para coisas NORMAIS.
    E o que mais irrita no vício seria LARGAR OS RESTOS EM VIA PÚBLICA. Pelo menos quem incomoda que LIMPE DEPOIS.
    Onde resido, no RS: talvez o Estado com o maior número de tabagistas. E chuvas que aki ocorrem inundam boa parte da capital. Onde ainda TEIMAM EM LARGAR LIXO NAS RUAS.
    Além do cheiro.
    Um dos meus pais se foi de CANCER DE PULMÃO… E nem ERA FUMANTE!
    Penou no tratamento. Onde depois de TRATAMENTOS PESADOS (que por sinal NEM ADIANTARAM) _ teve de TOMAR MORFINA PARA A DOR CAUSADA POR TAIS.
    E a típica resposta de um viciado “se não me fez mal até hoje não me fará mais”. De irritar.
    * E notem que ‘quando são advertidas para não sujarem, ou serem mais educadas: continuam fazendo +’: parecem até crianças.

    • Hotile

      O negócio seria TER BONS (ou NORMAIS hábitos).
      Se alimentar bem, evitar vícios: e nada de SE METER EM INTRIGAS.
      A vida já não é fácil. Dar corda para o RUIM NÃO DÁ.

  • Leandro Silvestre

    Para achar que cigarro faz bem para o cérebro, deve ser porque ele, na verdade, destruiu o teu, e tu tá começando a confundir as coisas. Quando somos viciados em algo, não conseguimos opinar sobre o assunto de maneira racional.