Doctor Who – Os primeiros 41 anos da série

Doctor Who – Os primeiros 41 anos da série

25

Hoje em dia Doctor Who é uma das melhores séries de ficção/drama no ar e segundo muitos, é a mais esperada para o início da temporada desse ano de 2011. Por isso eu decidi introduzir a série para que as pessoas possam começar a assistir sem se sentir perdidos, porém é uma série que tem 48 anos e como tal, tem muita história. Eu recomendaria começar a assistir pelo 5º ano da série moderna, pós-hiato, a que introduz o 11º Doutor, sua companheira, a nova TARDIS e o novo escritor principal, Steven Moffat. Ao todo são 13 capítulos mais o especial de natal. Mas e os 47 anos anteriores da série?


Os 8 primeiros Doutores, em ordem.Vou tentar explicar neste artigo a era clássica, desde 1963 até o hiato em 1989 e o filme de 1996, com seus oito doutores.


E em um segundo artigo, o resumo do reeboot pós-hiato, o que vamos chamar de era moderna de Doctor Who, começando em 2005 e indo até 2009. Esta foi a era do 9º e do 10º Doutor, o escritor principal era Russell T. Davies.


E por fim, escreverei um resumo do 5º ano moderno da série, para prepará-los para o 6º, que vai ter estreia mundial simultânea em 23 de abril.


Bom, mas por que assistir Doctor Who?


- Por que é a série de TV mais antiga em exibição, pelo Guinness, tendo começado em 23 de novembro de 1963.


Logos da série desde 63 até hoje.


- Por ser a série de ficção mais bem sucedida na história da TV, sendo tão arraigada ao imaginário britânico que muitos dizem que supera até mesmo Jornada nas Estrelas no imaginário americano.


- Por que é uma série onde o roteirista assina na abertura do capítulo, sendo desde os anos 60 muito mais uma série baseada em roteiros do que em efeitos especiais, que sempre foram bem mais fracos se comparados com as séries americanas de ficção, em resumo são boas histórias, com boas atuações e tudo muito bem amarrado (não é como LOST).


- Esse ano um novo roteirista pediu para assinar um capítulo, o terceiro da sexta temporada moderna de Doctor Who, aliás, nada mais nada menos que Neil Gaiman (autor de Sandman).


Sandman, de Neil Gaiman, o novo roteirista.


Ah, sim, e ele não é o primeiro escritor inglês conhecido a fazer isso, entre eles ainda temos, por exemplo, Douglas Adams (Guia do mochileiro das Galáxias), que aliás consta que o terceiro livro da série do mochileiro (A vida, o Universo e tudo Mais) era originalmente um capítulo de Doctor Who que não foi ao ar e virou o livro que todo nerd se não leu, deveria ler, fora o pessoal de Monty Phyton, que também fez aparições na série.


- O atual escritor principal da série, Sr. Steven Mofatt, entre outras coisas, foi noticiado ser o escolhido por Steven Spielberg para fazer o roteiro do filme de Tintim, pelos prêmios que ganhou é considerado por muitos um dos melhores roteiristas de TV da atualidade.


- A BBC America HD entrou com força total nos Estados Unidos e o carro chefe do canal é Doctor Who, então se você não ouviu falar ainda da série, até o fim do ano você vai ouvir. Existem citações dela em diversos seriados, como Os Simpsons, Futurama, The Big Bang Teory, Family Guy, American Dad, Star Trek, e conta-se que a inspiração original do DeLorean, dos filmes De Volta para o Futuro, foi a TARDIS.


O 4º Doutor nos Simpsons.


- Correu um boato, que muitos acreditam ser real, de que um ator de Hollywood tem interesse em ser o Doutor em um novo longa-metragem, e seria ele nada menos que Johnny Deep, porém a BBC já desmentiu o fato, mas o ator conhece e é fã da série realmente.


Algo dessa magnitude deve valer a pena ser visto, então, o que preciso saber para começar a assistir?


Se você não quer cair de paraquedas nos novos capítulos da 6ª temporada moderna, que começam a sair na Inglaterra e Estados Unidos simultaneamente a partir do dia 23 de abril desse ano, vou fazer essa série de 3 artigos com o resumo do que você tem que saber para entender o que está acontecendo, dividindo em 3 fases os 48 anos de série. A Primeira fase, que chamaremos de Época Clássica, são os capítulos desde o início em 1963 até o hiato em 1989, mais o filme americano de 1996 e o retorno em 2005 (41 anos, lá vamos nós).


Então, vamos ao resumo do primeiro arco (série de capítulos com uma história em comum fechada):


No primeiro capítulo em 1963 (An Unearthly Child: Uma Criança Alienígena, aproximadamente), os professores Ian Chesterton (William Russell) e Barbara Wright (Jacqueline Hill), de uma escola inglesa, discutem sobre uma aluna gênio, Susan Foreman (Carole Ann Ford), que segundo sabem mora com o avô, e ao segui-la para entender o mistério que a ronda, descobrem que seu endereço era um ferro velho e lá encontram um velhinho, o Doutor (William Hartnell), que se diz avô de Susan e após discutirem com ele entram em uma apertada cabine telefônica policial dos anos 50 jogada dentro do ferro velho e lá dentro descobrem, chocados, que é absurdamente maior por dentro do que por fora e pedindo uma explicação do Doutor ele simplesmente explica que os dois são alienígenas e que eles agora estão dentro da nave deles, que além de viajar pelo espaço também pode viajar pelo tempo.


o 1º Doutor conduzindo a TARDIS com seus companheiros ao lado.


Eles duvidam e o Doutor liga a TARDIS e ela viaja para a pré-história, e nos próximos quatro capítulos eles basicamente ajudam o homem pré-histórico a descobrir o fogo.


Na sequência, em mais uma nova viajem o Doutor leva-os ao planeta Skaro, onde encontram a raça mais temida da galáxia, os Daleks, criados muito antes por Davros, estes se tornam arqui-inimigos do Doutor.


Cartaz do filme dos Daleks, no auge da Dalekmania.Aliás, nos anos 60 houve uma Dalekmania na Inglaterra transformando essas criaturas em ícones pop, como as orelhas do Sr. Spock, tendo até filmes próprios deles na época.


E a partir daí viajam por diversos planetas e épocas, como por exemplo no quarto arco, conhecendo Marco Polo, no quinto os astecas e no oitavo a revolução francesa. Conhecem também vários planetas espetaculares no meio disso tudo. E Ian e Barbara se tornam junto com Susan, sua neta, companheiros de viagens e aventuras do Doutor, característica de quase toda a série, o Doutor segue sempre tendo companheiros, quase sempre mulheres, e também as varias raças alienígenas, além dos Daleks como os Autons, os Sontarans, os Cybermen, os Silurians, os Demônios do Mar (Sea Devils), os Guerreiros do Gelo (Ice Warriors), o Yeti (Sim, em Doctor Who as criaturas mitológicas existem e são quase sempre criaturas alienígenas, como o próprio Doutor), os Rani e Davros, o criador dos Daleks, entre outros muitos não humanos.


Após três anos de Doctor Who (1963-66) William Hartnell se despede da série em o que se tornou praxe, uma regeneração (renascimento do Doutor em um novo Time Lord, o truque que usam para serem praticamente imortais) onde aparece o segundo Doutor, Patrick Troughton, que era totalmente um novo Doutor, e depois ele no 3º Doutor e assim por diante.


A série teve várias características que marcaram muito e continuam até hoje, entre elas temos as regenerações do Doutor, que eram muito legais pelo fato de todo novo ator poder criar um novo Doutor com roupas, preferências e gostos novos, praticamente uma nova personalidade, afinal, ele regenerava em uma nova pessoa.


Outra característica são os companheiros que quase sempre eram uma mulher ou amigos que acompanhavam o Doutor em suas viagens. A mais famosa e querida da era clássica foi Sarah Jane Smith (Elisabeth Sladen), jornalista, que foi companheira do 3º e 4º Doutor (1973 -1976, aparecendo em especiais em 1981 e 1983) e que hoje em dia tem uma das séries spinoffs de Doctor Who, Sarah Jane Adventures, que é uma série infantojuvenil no mesmo universo do Doutor, inclusive, com capítulos onde o próprio aparece (pretendo fazer matérias sobre as séries spinoffs de Doctor Who, que são muito boas também).


O Brigadeiro Alistair e o 3º Doutor.O Doutor acaba sendo julgado pela raça dele e é exilado na Terra, proibido de voltar a seu planeta natal, Gallifrey, o lar dos Time Lords. Aliás, era o arquétipo das antíteses de sua época, o rebelde em busca de aventuras e conhecimento. Ele acaba em seu exílio na Terra cooperando com a UNIT (força militar da ONU encarregada de lidar com os alienígenas em nosso planeta), se tornando amigo do Brigadeiro Alistair Gordon Lethbridge-Stewart, que conheceu a 2ª, 3ª, 4ª e 8ª encarnação do Doutor (cujo ator Nicholas Courtney faleceu esse ano, vítima de câncer), porém o próprio Doutor era um pacifista que não usava armas, no máximo sua chave de fenda sônica.


Também durante a série conhecemos vários outros Time Lords, como Rassilon – o primeiro Lord Presidente de Gallifrey – e o Omega, basicamente o criador da tecnologia da viagem no tempo e das TARDIS.


O Doutor encontra em 1971 o seu arqui-inimigo, o Mestre, Time Lord perverso que entre outras coisas quer roubar as regenerações do Doutor para estender sua vida, ele aparece em vários episódios da era clássica e também na era moderna da série.


Todos os rostos do Mestre, dos anos 70 até 2019.


A série continuou seguindo com arcos contínuos aprofundando as histórias e expandindo o universo do Doutor, porém foi pouco exportada para fora da Inglaterra e acabou tendo características de humor muito britânico. Em geral foram poucos momentos da série fazendo sucesso fora de lá, em poucos períodos, como na época do 4º Doutor nos Estados Unidos e nos anos 90, sendo muito conhecida desde o seu início no Canadá e em países de língua inglesa, como a Austrália e a Nova Zelândia na era clássica. Porém hoje em dia, com a internet, estão se tornando uma febre no mundo inteiro devido a era moderna da série.


Uma coisa muito importante é o fato de que os capítulos eram gravados em videotape nos anos 60, especificamente entre 1963 e 1969 foram perdidos aproximadamente 90 episódios definitivamente e 108 recuperados por fãs e retransmissoras do programa em vários países, inclusive na Nova Zelândia. E hoje em dia esses episódios perdidos são refeitos por fãs usando imagens publicitárias e áudios do episódio ou gravações dos fãs durante as transmissões antigas.


Seguindo com Doutor dos anos 70 e 80 e suas companheiras, que fizeram uma legião de fãs que hoje em dia identifica os elementos e a mitologia do Doutor nos capítulos novos.


Os Daleks, parte da mitologia da série.


No fim dos anos 80, especificamente em 1989, foram feitos os últimos capítulos da era clássica devido a alguns problemas na BBC (que ia mal das pernas na época), fizeram um “hiato” (pois a equipe já sabia que a série não iria voltar) não cancelando em definitivo, porém os produtores disseram na época que a série não pararia e realmente continuaram em livros, quadrinhos, áudio books, etc.


No final da década de 80 acontecem os eventos da chamada guerra temporal, onde os Time Lords entram em uma guerra derradeira contra os Daleks que termina com o extermínio de ambas as raças, sobrevivendo apenas o Doutor e mais tarde descobrimos alguns Daleks, porém isso é sabido apenas nos livros e mais tarde na série moderna.


O 8º Doutor, no filme.E em 1996 foi lançado um filme produzido pela Fox americana em colaboração com a BBC (na verdade um piloto do que poderia ser a série americana que não emplacou na época), onde o 7º Doutor regenera no 8º Doutor, que apenas aparece em vídeo nesse longa onde o Doutor enfrenta mais uma vez o Mestre.


Muito foi escrito sobre o 8º Doutor, mas nada foi filmado além do filme para TV, por isso muitos o consideravam não canônico (não fazer parte da saga original, sendo visto na época como apenas um universo expandido), porém a BBC aceitou o 8º Doutor e o considera canônico após o retorno da série em 2005.


E termina assim a série clássica de Doctor Who, se ficou interessado busque saber mais, porém esse resumo é mais do que suficiente para que você comece a assistir sem se sentir perdido. A série moderna começa em 2005 com o aparecimento do 9º Doutor, já como último Time Lord e com 900 anos de idade, porém isso fica para a próxima matéria daqui a 15 minutos na TARDIS ou em uma semana.


Para aqueles que quiserem maiores detalhes sobre estes mais de 40 anos de Doctor Who, indico o Universo Who, um blog sobre a série.

Eduardo Castellini Dourado
Eduardo "Lord Fire" Castellini Dourado é estudante de Análise de Sistemas e se considera um nerd convicto. Ativo que só, é escritor, podcaster, blogger, SteamPunk, fomentador cultural, além de pai, evangélico e fetichista (segundo alguns, um dos maiores conhecedores do assunto).

Leia também...

 
Dê mais vida a Feedback Mag., para sua imagem aparecer ao lado de seu nome nos comentários, cadastre-se no Gravatar usando o mesmo e-mail com o qual você comenta aqui na revista. Leva 2 minutos.
 
  • mano simpatia

    Muito boa a sua postagem Lord Fire os detalhes das fotos a sequencia dos Doutores os detalhes dos 40 anos, bem resumido e explicativo,espero a proxima postagem um abraço…

  • PinkPaulaS

    Evangélico e fetichista? Gostei disso.. rsrs
    Eu sou mega fã de DW e seus spinoffs.
    Espero pelos posts sobre Torchwood.
    Sucesso.

  • Fernando Henriques

    Fiquei com vontade de assistir o primeiro arco da série.

  • Grace

    ADOREI!!! Sou muito fã da série. Melhor sci-fi do mundo todo.

  • http://twitter.com/RodrigoCotton Rodrigo Henriques

    Complexa, mas parece interessante.

  • Sparky

    Aproveito para tirar uma dúvida que nunca achei uma resposta satisfatória: o que aconteceu com a neta do Doctor?

    Em que livro/especial aparece a Time War? Eu ia adorar uma matéria sobre ela!

    Parabéns pela iniciativa =D

    • Edu “Lord Fire” Castellini Dourado

      Ola,

      Bom a Guerra aparece principalmente nos Livros e audios do 7º Doutor (o de antes) 8º Doutor (O do Filme, que pega a Guerra mesmo, eu procuraria material dele) e nos do 9º Doutor já termina como ultimo dos Time Lords.

      Abraço,
      Eduardo “Lord Fire” Castellini Dourado.

    • mulucio

      esta em algum lugar.

  • paula

    revisão de texto mandou lembranças – MUITOS erros gritantes.

    • Fernando Henriques

      Por favor, cite para que possamos corrigir. Não somos perfeitos, o artigo é grande e pode acontecer de algum erro passar despercebido. Você também pode ter confundido a informalidade da linguagem usada em alguns trechos com erros ortográficos, mas são coisas bem distintas. De qualquer forma vou fazer uma nova revisão e se realmente encontrar algo, volto aqui para te agradecer.

    • Fernando Henriques

      Tinha alguns erros, a edição foi corrida, mas nada gritante, rs. Já foram corrigidos.

      • paula

        “Há, sim, e ele não é o primeiro escritor inglês”

        seria “ah”, e não “há”, do verbo haver. dentre outras coisas que não foram notadas por talvez não serem entendidas como erradas, mesmo que gritantes.

        • Fernando Henriques

          Ops, você tem razão. Corrigindo em 5,4,3…

        • http://www.andersonbarboza.com Anderson Barboza

          Paula,

          Você poderia nos dizer quais os erros gritantes que você acredita haver? Nós já revisamos o texto diversas vezes e corrigimos o que encontramos de erros.

  • Daniel

    Também tenho a mesma curiosidade sobre a neta do Doutor. e principalmente Parabéns pela materia.

    • Edu “Lord Fire” Castellini Dourado

      Ola,

      Respondendo sobre a neta do Doutor.
      Susan Foreman sai (Segundo consta por que a atriz não queria mais fazer o papel no arco de 19640 o ela se apaixona por um Cara chamado David um guerreiro do future fica com ele, e o Doutor deixa pois segundo ele ela parecere que esta ficando moçinha, e depois de sair nesse episódio ela reaparece no especial de 1983 The Five Doctors.

      Abraço,
      Eduardo “Lord Fire” Castellini Dourado.

  • Edu “Lord Fire” Castellini Dourado

    Obrigado a todos que estão comentando isso é muito importante para nós continuem.

    Eduardo “Lord Fire” Castellini Dourado.

  • Andre Sauer

    Bom resumo, valeu.

  • Eliana

    Gosto muito da série Dr Who. Vocês estão de parabéns.

  • timelord

    Adorei essa matéria, muito boa. 

  • Luanrodrigo77

    alguem sabe onde posso assistir com os doutors 1 ao 8 por favor pelo menos legendado

    • diego leal

      eu recomendo o site universowho.org tem varios arcos de varios doutores,é so procurar no topo da pagina,serie claassica e clicar no doutor de sua preferencia.

  • Andressa

    Gostei do post…mas…”Evangélico e fetichista”? kkkk Mais WTF que os episódios do Moffat.

    Pouco conheço de doctor who até pq comecei a assistir mesmo em março deste ano. Mas caramba! Simplesmente to amando. Agora que terminei a série moderna to começando a série clássica…quer dizer…por enquanto só to assistindo a fase do Tom Baker..mas assistirei aos outros com certeza. :D

    • http://www.feedbackmag.com.br Fernando Henriques

      O Edu é um cara controverso mesmo.

  • Daniel Lisboa

    eu sou muito fã do Doctor Who. Por que é uma serie muito legal, mesmo eu tendo 12 anos eu já conheço todos os doutores todos os logos da serie eu adoro Doctor Who mesmo!