Dignidade a venda!

Dignidade a venda!

0

Eu só consigo imaginar que foi assim…

 

Alguém no Santos chega e diz: Não tem jeito, vamos ter que vender o Neymar.

 

Um dirigente argumenta: Não tem jeito mesmo?

 

— Não! Mas eles vão pagar bem, e ainda fizemos uma contra proposta que eles aceitaram na hora. Eles levam o Neymar e vamos fazer um amistoso lá no Estádio deles. Sabe o Camp Nou?!?! Então, vai renovar a imagem do clube! Além de termos vendido o menino bem caro, da renda do jogo ser nossa, ainda vamos ser falados em toda a imprensa do mundo.

 

Um breve silêncio, e…

 

— É verdade, vai que a gente faz um jogo duro com os caras. Arranca um empate! (Rsrsrs.)

 

— Claro! Pior do que a final do Mundial não pode ser. Início de temporada, amistoso, eles não vão jogar sério.

 

Messi precisa jogar sério contra o Santos? | Créditos: REUTERS/Albert Gea.

Messi precisa jogar sério contra o Santos? | Créditos: REUTERS/Albert Gea.

 

Assim, se construiu “na minha cabeça” a maior tragédia recente do marketing esportivo mundial.

 

Quem em sã consciência achou que o Barcelona depois de terminar a temporada passada sendo questionado, após as derrotas para o Bayern, não iria querer atropelar o Santos ou qualquer outro time que viesse pela frente?

 

Cadê o Ronaldo? A Nine (9ine)? Ninguém teve coragem pra dizer um “Vai dar merda!”?

 

Ah! O jogo foi 8 a 0, mas, isso é o que menos importa.

Léo Monteiro
Léo Monteiro é publicitário e consultor de comunicação política e cultural. Terráqueo, brasileiro, mangueirense, carioca e botafoguense. No twitter: @leandromonteiro.

Leia também...

 
Dê mais vida a Feedback Mag., para sua imagem aparecer ao lado de seu nome nos comentários, cadastre-se no Gravatar usando o mesmo e-mail com o qual você comenta aqui na revista. Leva 2 minutos.