Cunha e a baixeza moral da Esquerda

Cunha e a baixeza moral da Esquerda

0

Que a indignação da Esquerda é seletiva, não há dúvidas. Mas todo homem honesto e virtuoso não pode deixar de se surpreender com o descaramento da seletividade dos fatos. Eles conseguem, sem constrangimento moral algum, medir o mesmo peso com duas medidas totalmente distintas; com Eduardo Cunha não foi diferente.
 
Na ultima terça-feira (13) as bancadas do PSoL e da REDE – da nova, e já velha, política – apresentaram ao Conselho de Ética da Câmara dos Deputados o pedido de cassação do mandato do presidente da Casa, Eduardo Cunha – PMDB-RJ. Até aí, tudo bem. Vivemos numa democracia, e é um direito que cabe a eles. Entretanto, a representação baseia-se em duas fundamentações: nas delações premiadas, nas quais Cunha é acusado de receber propina do Petrolão, e na confirmação dada pela Procuradoria-Geral da República – PGR – de que Eduardo Cunha tem contas na Suíça, o que ele já havia negado em depoimento na CPI da Petrobras.
 
São acusações graves e que devem ser averiguadas, não quero prevaricação. Mas não posso deixar de ficar estarrecido quando me deparo com a declaração do deputado Ivan Valente – PSoL-SP, por exemplo:
 

“A situação (de Eduardo Cunha) é insustentável. É tão grave, uma vez que já está comprovada por meio dos documentos que estão nas mãos da Procuradoria-Geral da União (PGR), que o presidente da Câmara não deveria, a partir desta tarde, nem mesmo presidir mais as sessões da Casa.”

 

Estranho, uma vez que a própria presidente em entrevista nos EUA disse que não respeitava delator, oportunidade em que ela “agarantia” que quando tomou uns gritos nos porões do Regime Militar, se manteve firme e não delatou ninguém.
 
Qualquer asno consegue ver a relativização dos fatos. Se o sujeito tiver um mínimo de dignidade moral perceberá a baixeza argumentativa da Esquerda. Quando convém as delações são provas irrefutáveis. Quando não convém, não há por que respeitar o delator. Lula e Dilma foram citados inúmeras vezes na mesma Operação, e só é um absurdo a situação do Cunha(!)?
 
Já que é pra falar em delação premiada, vamos falar da delação de Fernando Baiano, que acaba de ser validada, na qual ele afirma ter indicado um pagamento na ordem de R$ 2 milhões a Lulinha, ligando seu pai, o ex-presidente Lula, ao esquema do Petrolão, como deixou claro o senador Ronaldo Caiado:
 

“Uma vez comprovada a ligação entre um dos principais lobistas do Petrolão e o filho do ex-presidente, cai por terra qualquer linha de defesa de Lula que o coloca como corpo estranho às investigações da Lava Jato.”

 
O silêncio ensurdecedor da Esquerda e da grande mídia sobre os fatos constrangeriam até mesmo a Dercy Gonçalves, o que dirá do brasileiro de bem, o contribuinte que é usurpado diariamente com impostos obscenos, os quais financiam essa corja política que tomou contou de Brasília? Por que os Psolistas e Marinistas, e até mesmo os petistas honestos não se indignam com a delação de Baiano, também?
 
Cunha está sendo acusado de ter recebido US$ 5 milhões do esquema do Petrolão. Algo gravíssimo, ainda mais se tratando do presidente da Câmara dos Deputados, terceiro na linha de sucessão presidencial. Mas o montante desviado da estatal superam a casa dos R$ 2,1 bilhões. Diante desse valor o que Eduardo Cunha recebeu é dinheiro de pinga.
 
O que me assusta é que qualquer cidadão desavisado que ligar o noticiário hoje, terá a impressão que o Cunha é o protagonista do esquema. A Esquerda está indignada com o envolvimento dele, como também estou, mas por que essa indignação só se restringe a ele? O esquema foi instalado dentro dos 13 anos de administração petista, foi perpetrado no seio da estatal enquanto Dilma Rousseff ocupava a Presidência do Conselho de Administração da Petrobras. Será mesmo que ela não sabia? Se não sabia, deveria ser penalizada por incompetência. Mas, onde está a indignação deles?
 
Eduardo Cunha está sendo crucificado por participar de um esquema criado pelo PT, onde, o que tudo indica, Lula e Dilma possuem papeis fundamentais. Por que os Psolistas e Marinistas não se indignam e exigem o afastamento do cargo da presidente da República?
 
Será que se Cunha não fosse uma enorme pedra no caminho petista, eles estariam assim, tão indignados? Será que se Cunha não se opusesse as pautas progressistas, as quais visam destruir a Família, Arnaldo Bloch escreveria sua deplorável crônica, na qual diz que Cunha “conduz a pauta mais retrógrada do país, e arrebanha para suas fileiras todos os que desejam um Brasil mais truculento, rico em retrocesso”? Será que seus companheiros de publicidade, pois jornalismo já não fazem há muito tempo, ventilariam tantas acusações na grande mídia e minimizariam a cúpula petista?
 

Ele incomoda a Esquerda e tira o sono de Dilma.


 
Cunha incomoda esta máfia, pois é a primeira oposição de verdade em 13 anos no país. Cunha incomoda por que entende do jogo político, é um respeitado estrategista e já impôs derrotas importantes ao governo. Cunha incomoda por que é o único capaz de deflagrar o processo de impeachment.
 
E enquanto ele seguir incomodando a maior quadrilha da História deste país, enquanto ele seguir ameaçando este governo corrupto, enquanto a Dilma sentar de forma ilegítima na cadeira presidencial e até o limite possível, estarei com Eduardo Cunha.
 
Isso é política. Política é para adultos, e em política é assim: o inimigo do meu inimigo é meu amigo!

Carlos Santos
Estudante de jornalismo, escritor amador, poeta de ocasião, cronista fortuito e colunista inconstante. Além de tudo, é um ex-comunista que dobrou a Direita.

Leia também...

 
Dê mais vida a Feedback Mag., para sua imagem aparecer ao lado de seu nome nos comentários, cadastre-se no Gravatar usando o mesmo e-mail com o qual você comenta aqui na revista. Leva 2 minutos.