Awesome Mix – Trilhas sonoras marcantes

Awesome Mix – Trilhas sonoras marcantes

0

Um filme é um ótimo meio para se conhecer músicas (antigas ou novas). A trilha sonora de uma obra cinematográfica é essencial para trazer a emoção para o telespectador, como o personagem Jesse (Skylar Astin), de A Escolha Perfeita (2012), diz perfeitamente.

 

Vozes e ritmos marcantes e um refrão fácil de lembrar, são alguns aspectos que fazem uma pessoa sair do cinema ou desligar a TV e ainda se lembrar da cena em que tocou aquela música. Cena e trilha sonora se conectam e nós nem percebemos, só quando nos lembramos do mocinho beijando a mocinha ou uma cena de ação em que o herói-protagonista é posto à prova.

 

Separamos 10 músicas que fizeram história (e ainda fazem) no cinema e nas paradas de sucesso:

 

1. Come and Get Your Love e Ain’t No Mountain High EnoughGuardiões da Galáxia (2014): Acho que sou ousada o bastante para dizer que Guardiões da Galáxia é um dos filmes com a melhor trilha sonora da história. Come and Get Your Love (1974), da banda Redbone, é a musica que, podemos dizer, apresenta nosso herói, Senhor das Estrelas (Chris Pratt), com seu jeito descontraído e alegre. Em umas das primeiras cenas do filme, Peter Quill (alter ego de Senhor das Estrelas) entra dançando ao som dos Redbone, que foi a música perfeita, em termos de ritmo e harmonia – que são bem contagiantes – e já te fazem querer dançar junto. E pra fechar o filme, nada melhor que um clássico de Marvin Gaye, dos anos 60: Ain’t No Mountain High Enough.

 

Sem querer contar spoiler, em uma das cenas finais – e talvez a que te faz se emocionar mais – Peter Quill encontra uma lembrança que o faz voltar ao passado junta à canção, e aí mostra como ele sempre esteve em contato com a música. O enredo em si é todo ligado a uma música que te lembra de alguém ou um momento. E nesse filme, que apesar de ser bem atual (de 2014), são predominantes os clássicos de ritmos dançantes. Muita nostalgia.

 

Star Lord e seus companheiros da equipe de heróis mais improvável do cinema

 

2. The eye of the tigerRocky, um lutador (1976): É praticamente impossível lembrar de um e esquecer o outro, no caso da música dos Survivor, 1982, e o famoso Rocky (Sylvester Stallone). É o casamento perfeito entre uma música que fala sobre enfrentar desafios e nunca parar de lutar e um filme que fala totalmente de superação. Quem nunca se sentiu como se pudesse subir a escadaria da Philadelphia em cinco minutos, quando já ouve o primeiro acorde de The eye of the tiger?

 

Curiosidade: se você estava atento às datas e/ou é fã da franquia Rocky, notou que a música The eye of the tiger só foi lançada 6 anos depois do primeiro filme. Ela faz parte da trilha sonora do TERCEIRO filme! Entretanto, ainda assim a associamos com o TODOS os filmes do lutador, e em especial, o primeiro…

 

A canção é apenas do terceiro filme, mas é impossível não associá-la a todos os filmes da franquia

 

3. Don’t You (Forget About Me)O Clube dos Cinco (1985): Esse é só o terceiro exemplo de trilhas sonoras marcantes e já conseguimos ver como as músicas dos anos 70 pra cá nos remetem a lembrarmos de um filme na hora. The breakfast Club, foi um filme que marcou a década de 80, por tratar radicalmente sobre o assunto da revolução sexual. A história nos mostra cinco jovens completamente diferentes, tanto em personalidade quanto em estilo de vida, que são obrigados a passarem um dia inteiro juntos em uma detenção na escola. Lá eles aprendem a aceitarem suas diferenças e que cada um pode completar o outro, fazendo daquele dia inesquecível.

 

Na música de 1985 (mesmo ano do filme), da banda Simple Minds, é feito um apelo para que sempre lembremos das pessoas e, contraditoriamente, podemos ver uma pergunta, que uma vez ou outra na vida nós nos fazemos, se as pessoas vão se lembrar de nós como nos lembramos delas. Ao se despedirem, no fim da detenção, é visível nos olhos de cada personagem que eles se indagam como será a vida escolar dali pra frente – eles vão se falar na frente dos outros amigos? Eles vão formar uma rodinha na hora do intervalo para falar sobre um assunto qualquer? Ou, eles se convidariam para ir às festas e sair à noite?

 

Breakfast Club marcou toda uma geração assim como a música tema

 

4. Send me an angelO Garoto do Futuro (1985): Michael J. Fox (sim, é quem você está pensando) é Scott Howard, um garoto de uma família de linhagem de lobisomens e que resolve dar uma de Tony Stark e se expor ao mundo, com pelos, garras e tudo o que tem direito. Porém, ele percebe que não vale a pena ter uma vida de fama quando se afastar das pessoas que gosta vira uma consequência. Então, para se redimir e limpar sua ficha com todos da escola e da sua cidade, ele precisa da ajuda da namorada (Lorie Griffin), que está disposta a tê-lo de volta. Exatamente nessa cena, entra a estrela cuja é o nosso foco por ora.

 

Send me na Angel, da banda Real Life, é uma música de 1983, que fala justamente do que o filme trata, quando nos vemos em situações que não conseguimos lidar sozinhos e pedimos a ajuda das pessoas próximas de nós. Uma curiosidade é que no clipe da banda aparece um lobisomem, e o filme só foi ao ar dois anos depois.

 

Teen Wolf: você sabia que esse é o nome original desse filme?!

 

5. Kung Fu FightingUm Ninja da Pesada (1997): Haru (Chris Farley) foi criado por uma família de ninjas e, apesar de estar acima do peso ideal para um ninja, ele se dedica ao máximo para ser o melhor – no ponto de vista dele. Em uma missão, quando seu irmão Gobei (Robin Shou) se encontra em perigo, Haru decide ajudar e, ao som de Kung Fu Fighting, ele se mostra um verdadeiro guerreiro. Juntando a cena à música (inclusive a letra), parece que ela foi escrita especialmente para o filme. Mas não foi. Kung Fu Fighting é de muito antes, 1974, e é cantada por Carl Douglas.

 

Liu Kang foi salvo pelo seu irmão gordinho AND ninja. Esse dia foi loco!

 

6. Star Wars Main ThemeStar Wars (1977): Apesar de ser uma canção sem letra, ela nos leva a viajar para outros mundos como nenhuma outra. Essa música escrita por John Williams em 1977, especialmente para o filme, virou um clássico do mundo nerd e da cultura pop em geral. É marca registrada de Guerra nas Estrelas, desde 1977, quando lançou nos cinemas o Episódio IV, o primeiro filme da série a ir ao ar.

 

Quando aquelas letrinhas amarelas começam a subir e aquela música instrumental começa a tocar, não há nerd que não sue pelos olhos

 

7. Glory of LoveKarate Kid, Part II (1986): Primeiramente, a música é uma típica declaração de um homem apaixonado que faz de tudo pelo amor. Na sequência de A Hora da Verdade, Daniel San (Ralph Macchio), começa um novo romance do outro lado do mundo, enquanto seu mestre Miyagi (Pat Morita) reencontra um antigo e frustrado amor da sua adolescência (Nobu McCarthy). ~

 

Outro caso em que normalmente associamos uma mesma música (que surgiu na continuação) a todos os filmes da série

 

8. Johnny B. GoodeDe Volta Para o Futuro (1985): E mais uma vez o nosso protagonista é Michael J. Fox, dessa vez como Marty McFly. Esse filme traz uma peculiaridade, que é uma música do final dos anos 50, de Chuck Berry. Na história o doutor Brown (Christopher Lloyd) leva McFly para o ano de 1955 e em certa ocasião, num baile, o jovem é convidado a subir no palco e dar uma palinha. Bom, aí é que ele se empolga e “apresenta” a todos o rock n’ roll, fazendo um solo de guitarra épico. No começo o som não é muito bem recebido, mas no decorrer da música, todos começam a dançar sem parar. Johnny B. Goode (1958) é animada e bem o estilo do começo do rock nos anos 60.

 

O dia que McFly inventou o Rock n’ roll

 

9. My GirlMeu Primeiro Amor: Vada Sultenfun (Anna Chlumsky) e Thomas J. Sennett (Macaulay Culkin) são melhores amigos – ela, uma menina solitária que mora com o pai que é dono de uma funerária, e ele, um menino alérgico a tudo. Durante o desenrolar da história, eles descobrem o amor puro e a amizade verdadeira, viram melhores e inseparáveis amigos. My Girl (1967), da banda The Temptations, é uma música que descreve esse sentimento tão novo para os dois, e é aquela música romântica característica dos anos 60 (mesma época que os Beatles começaram a fazer sucesso), de adolescentes apaixonados.

 

Alguém consegue imaginar um filme que conte uma história de amor, ainda que puro e inocente, entre duas crianças hoje em dia?

 

Enfim, vimos que a música em si é atemporal, como qualquer clássico – seja literário, sonoro ou cinematográfico. Hoje podemos ouvir uma melodia e curtir na hora, mas sem saber, às vezes, que no passado esta fez um grande sucesso e não saía das pontas dos dedos dos DJs de bailes ou das pick-ups dos nossos pais. Os produtores de filmes encontraram, então, uma plataforma riquíssima para explorar essa mistura que, como foi dito, marcou gerações e também marcou a memória de todos que assistiram algum desses filmes e que sempre que ouvem de novo aquela batida por acaso, lembra-se da infância e do momento em que viu aquelas cenas pela primeira vez.

Stella Barros
Stella Barros é estudante de Turismo, mas tem um pezinho no Jornalismo. Tem 18 anos, é apaixonada por livros, filmes e fotografia. Recentemente, criou um blog, para falar de assuntos cotidianos, e um canal literário no YouTube. Ela acredita no sonho maior de viajar o mundo e conhecer Londres.

Leia também...

 
Dê mais vida a Feedback Mag., para sua imagem aparecer ao lado de seu nome nos comentários, cadastre-se no Gravatar usando o mesmo e-mail com o qual você comenta aqui na revista. Leva 2 minutos.