Análise do UFC 125 – Edgar vs Maynard

Análise do UFC 125 – Edgar vs Maynard

5

O ano começou bem para os fãs de MMA, logo no primeiro dia de 2011 fomos agraciados com ótimas lutas. O UFC 125 trouxe resultados inesperados e muita ação, elementos que já não frequentavam o UFC há algum tempo.


No evento principal da noite, o campeão dos leves, Frankie Edgar, enfrentava o desafiante Gray Maynard, único homem que já o havia vencido. Naturalmente, tais elementos, título em jogo, revanche, poderiam garantir a expectativa de uma boa luta, mas não dessa vez. Edgar e Maynard são conhecidos por terem exímia perícia na arte da amarração, são ótimos em vencer por decisão, ofertando ao público lutas mornas. Apesar de ambos estarem vindo de incríveis vitórias, Edgar superou a lenda BJ Penn duas vezes, já Maynard venceu o talentoso Kenny Florian, acredito que ninguém esperava uma luta tão boa, que inclusive, faturou o prêmio de luta da noite.


Mas nem só de main event viveu o UFC 125, as demais lutas do card principal também empolgaram.


Clay Guida vs Takanori  Gomi


Cada dia gosto menos do Guida, muito louco, cabelo pra todo lado, e antijogo de primeira, mas é válido, ele vence. Já o Gomi, que tristeza, defesa de quedas em dia, gostei, me fez acreditar em sua vitória, mas o chão… Aff! Infantil. Que mole foi aquele, japa?! O Guida avisou, “tô indo para a guilhotina”, e o Gomi, fingiu que não ouviu e tentou subir, facilitou tudo. E pensar que o japonês é um atleta oriundo do grappling, disputou no passado diversas competições de submission grappling no Japão, mas hoje, parece só trabalhar a luta em pé.


A guilhotina de Clay Guida, facilitada por Gomi, levou o prêmio de finalização da noite, eu discordei. A chave kimura aplica por Daniel Roberts em Greg Soto foi muito mais interessamte, mas Guida vs Gomi era uma luta de peso, lutadores de nome e tal… Enfim, foi uma boa luta, não ótima, mas boa.


Guida finaliza Gomi - Céditos: Tracy Lee/Yahoo Sports


Dong Hyun-Kim vs Nate Diaz


Hyun-Kim, um faixa-preta 4º dan de judô, é um coreano esperto e mais uma vez utilizou suas quedas para pontuar e controlar a luta. Nate Diaz pecou por aceitar a luta de solo por baixo, apesar de não ter sofrido golpes contundentes e tentado finalizações, para os jurados, esteve sempre em desvantagem no solo.


Infelizmente os jurados enxergam as lutas dessa forma e nós, fãs, estamos cada dia mais conformados com isso. É uma triste realidade. Nate Diaz não lutou mal, não foi dominado no solo, não tomou desvantagem em pé, pelo contrário, quando esteve em pé tentou acertar o adversário, quando esteve no chão, tentou “pegar”. Os irmãos Diaz lutam assim, indo pra cima em qualquer terreno e por isso tem seus fãs cativos, mas Hyun-Kim foi estrategista, aplicou quedas e evitou as finalizações. Não fez nada excepcional, não foi totalmente superior em nenhum momento da luta, mas foi efetivo em pontuar. Vitória por decisão unânime para ele.


Thiago Silva vs Brandon Vera


Thiago Silva faz o estilo mal-encarado, porradeiro, aquele cara que vai pra cima com tudo e bate doído. Esse “estilão” às vezes não entra no octógono junto com ele, como em sua última luta com Rashad Evans, mas na noite do UFC 125, para infelicidade de Vera, não havia como distinguir estilo e pessoa, estava tudo ali, junto e misturado!


Brandon Vera precisava da vitória, mas não parecia. Mesmo vindo de duas derrotas seguidas, novamente não conseguiu aliar talento e vontade e o público mais uma vez ficou com a impressão de que ele não queria lutar. O muay-thai estava afiado, mas o wrestling fez falta. Em outros tempos Vera poderia ser classificado como um atleta difícil de ser derrubado, mas parece que Thiago andou treinando bastante com o mestre Ricardo Libório e as suas técnicas para derrubar a partir do clinche funcionaram nos três rounds. Méritos do Thiago ou deficiência do Vera? Eu voto pelos méritos, mas também acredito que a força tenha feito muita diferença nesse combate, Thiago parecia muito bem condicionado.


Brando Vera de nariz quebrado. Créditos: Donald Miralle/Zuffa LLCInteressante notar que na luta entre Vera e Couture (UFC 105), um dos supostos maiores garfos da história, o especialista em quedas, Randy “Natural” Couture, não conseguiu derrubar Vera, coisa que Thiago fez muito bem nesse combate.


Sobre a polêmica dos tapinhas, confesso que não achei nada demais. Foram golpes como outros qualquer, um tapa na orelha incomoda bastante, na cara também, e o momento que Thiago fez um tamborzinho nas costas do Vera não foi mais feio do que ver o dito ofendido passar todo o terceiro round acuado e sem reação. Vera não quis desistir, mas visilmente não queira mais lutar, tudo bem, foi guerreiro e levou um nariz quebrado como prêmio. Meus sinceros parabéns, Brandon Vera!!


Brian Stann vs Chris Leben


Brian Stann é um trocador que venceu sua última luta com um triângulo, mostrando sinais claros de evolução. Neste combate ele mais uma vez lutou bem, mas não se iludam, falando de MMA em geral, ele ainda tem muito à aprender. Já Chris Leben, um lutador muito mais experiente, era favorito, vinha de duas boas vitórias, porém não se apresentou bem, parecia cansado. Apesar da derrota, mostrou o habitual coração de leão, que dessa vez não foi suficiente.


É importante entender que esta luta foi casada para o show, Stann, um trocador nato, iria buscar a luta em pé, e Leben, apesar de teoricamente ser melhor no chão, aceita a trocação com qualquer um (inclusive Anderson Silva). A única dúvida seria quem nocautearia quem, respondida ao fim do combate.


Frankie Edgar vs Gray Maynard


Edgar entrou no octógono com uma estratégia em mente: entrar e sair, bater e correr, às vezes derrubar, mas não ficar muito tempo no solo, pontuar, pontuar e pontuar, enfim, a estratégia que o fez ganhar o cinturão. Esse era o campeão dos leves do UFC até ser acertado por um belo cruzado, seguido de uma sequência de golpes que caracterizaram uma verdadeira surra, algo que há muito não se via no MMA. Maynard, diferentemente de BJ Penn, conseguiu usar o boxe para encontrar Edgar no meio de toda aquela movimentação 220 volts.


Maynard acerta Edgar - Créditos: Eric Jamison/AP


Após perder o 1° round por 10 a 8, Edgar foi obrigado a correr atrás, sendo mais ofensivo, isso tornou a luta eletrizante. Em diversos momentos ele se arriscou mais na trocação e acertou bons golpes, também foi atingido por Maynard, porém sua velocidade superior era notória. Foi uma luta digna de uma disputa pelo cinturão, o prêmio de “luta da noite” foi merecido.


Sobre o impressionante massacre do 1º round, acredito que o Maynard fez tudo certo e a luta só não terminou por méritos do Edgar, que mostrou coração e muita vontade de manter o cinturão. Quem acreditava em 5 rounds chatos, como eu, queimou a língua. Talvez eles tenham se inspirado nos lutadores do WEC, que continuem assim.

Fernando Henriques
Idealizador e editor desta revista, Fernando Henriques é um consumista informacional. Formado bacharel em Ciências da Computação, encontra na Comunicação um elo natural. Viciado em séries, filmes, rock, MMA, política e desafios.

Leia também...

 
Dê mais vida a Feedback Mag., para sua imagem aparecer ao lado de seu nome nos comentários, cadastre-se no Gravatar usando o mesmo e-mail com o qual você comenta aqui na revista. Leva 2 minutos.
 
  • http://deboradomingues.blogspot.com Débora Domingues

    Oi, estava atrás de comentarios da última luta entre MACHIDA e RAMPAGE JACKSON

    • Fernando Henriques

      Estou preparando um artigo sobre o “prejuízo” que o show causa ao esporte, vou citar esta luta e fazer uma analogia. Fique ligada!!

  • Godiles

    Clay Guida na minha opinião é um dos lutadores mais carismaticos do UFC, e nessa luta o cara soube uza o que um lutador pode ter de melhor: A Ginga, parecia que ele tava lutando copoeira, quando ele deu o primeiro Head-Kick no japa mêo dêos!!!!!!!

    Mas a luta do Silva foi o ponto alto pra min desse UFC, mostrando o espirito brasileiro de lutador! Fico lindissimo o nariz da criatura! MUAAHAHAHAHAH

    [=

    • Fernando Henriques

      Viva ao Guida, o homem das cavernas!!

  • Adriano Santos

    Realmente, Fernando, o UFC 125 foi surpreendente. Principalmente a luta principal… Não esperava que fosse tão pegada. Valeu a pena assistir mesmo. Sobre o Guida… aquele cara, alem de esquisito, é grudentao. Sei lá… Mas ele nao é um lutador ruim.
    Abraço e obrigado pela dica do post!