A Desonestidade do ILISP e a Melhor Entrevista de Jair <br />Bolsonaro

A Desonestidade do ILISP e a Melhor Entrevista de Jair
Bolsonaro

3

Jair Bolsonaro é um candidato despreparado mesmo vivendo há 27 anos às custas dos pagadores de impostos na Câmara.

 

Foi assim que Marcelo Faria, do Instituto Liberal de São Paulo, fez a chamada do seu texto sobre a participação de Jair Bolsonaro no programa Canal Livre, da Band.

 

Em seu “resumo” da entrevista, Marcelo destacou algumas perguntas dos jornalistas e respostas de Bolsonaro e as comentou. Agora comento seus comentários um tanto quanto desonestos a respeito das respostas do deputado:

 

As primeiras duas perguntas destacadas foram sobre privatização e extinção de algumas estatais. Ao destacar as respostas, Marcelo foi propositalmente simplista para que pudesse ser mau caráter em seguida.

 

Marcelo afirma que para as duas perguntas Bolsonaro apenas respondeu de forma genérica que a questão deve ser estudada em relação quais devem ser extintas e quais devem ser privatizadas, e no seu comentário insinua maliciosamente que o Bolsonaro não sabe o nome de nenhuma estatal nessas condições.

 

Porém, a resposta do Bolsonaro foi um pouco diferente do que o Marcelo quis deixar a entender. Vejamos: nos casos das que devem ser extintas, Bolsonaro diz que não desejava entrar em detalhes porque precisava de um bom estudo vindo do BNDES, e também para que nenhum equivoco dele, naquele momento, servisse de instrumento contra ele.

 

Algo absolutamente normal. Ele realmente deve estudar quais devem ser extintas, qual o problema nisso? O mais importante nesse momento, a um ano das eleições, é que temos um potencial candidato com a mentalidade de que temos estatais em demasia e por isso precisamos rever essa política. Alguém consegue lembrar o último que defendeu isso? Alckmin, em 2006, quando insinuaram sua suposta pretensão de privatizar a Petrobrás apareceu todo fantasiado com adesivo de estatais por todo lado, igual um outdoor.

 

Momento clássico do governador de São Paulo!

Momento clássico do governador de São Paulo!

 

Se o Bolsonaro respondesse essa pergunta dessa maneira, eu iria concluir que ele é retardado. Como ele não respondeu assim, e foi reproduzido dessa maneira, nos levando a acreditar que foi essa a resposta, concluo que o Marcelo é, no mínimo, um desonesto de marca maior com o único proposito de atacar a imagem de Jair Bolsonaro a qualquer custo.

 

O que o Bolsonaro realmente falou foi algo a ser comemorado. Ele citou a Curva de Laffer para explicar que aumentar impostos para cobrir os déficits nas contas públicas não resolve, pois em certo momento a arrecadação cai. Ou seja, Bolsonaro entende que aumentar impostos não é a solução, e ainda usou os exemplos de Crivella, no Rio, e de Dória, em São Paulo, como exemplos negativos – ambos buscam aumentar a arrecadação com aumento tributário. O que mais os liberais do Ilisp quer nesse quesito, o que seria suficiente para agradar esses nobres defensores irredutíveis do liberalismo? Será que eles esperam o retorno à vida de Milton Friedman?

 

E para concluir, Bolsonaro afirmou que quem produz não pode ser sacrificado para salvar as contas públicas (!). Isso é algo extremamente animador vindo de um possível candidato à presidência. Mas parece que nada disso importa para Marcelo e certos grupos liberais, o que importa é atacar de forma maliciosa, independente do posicionamento, o deputado, o qual é a única opção viável para combater todos esses grupos que assaltam a República desde a redemocratização.

 

Por fim, Bolsonaro deu sua melhor entrevista em toda a sua vida pública, mesmo diante de uma bancada de jornalista que tinham como intenção não uma entrevista honesta, mas arrancar dele uma declaração polêmica para descontextualizá-la e usá-la contra ele. E ainda demonstrou estar se preparando para ocupar o cargo mais importante do país.

 

Para quem estava acostumado a ter social-democratas como opção liberal, Bolsonaro é uma evolução, sim!

Para quem estava acostumado a ter social-democratas como opção liberal, Bolsonaro é uma evolução, sim!

 

Bolsonaro, enfim, mandou um claro sinal, aos mais céticos, de que daqui a um ano estará pronto para uma das campanhas mais violentas da história desse país, onde terá que enfrentar todo o establishment praticamente sozinho, e, ainda, que seu plano de governo será o melhor plano já elaborado – e com reais condições de vitória – desde a redemocratização, pois conhecendo suas dificuldades e limitações não será arrogante ao ponto de rejeitar orientações de especialistas em determinadas áreas, como na economia.

 

Brasil acima de tudo, e Deus acima de todos!

 

#Bolsonaro2018

Carlos Santos
Estudante de jornalismo, escritor amador, poeta de ocasião, cronista fortuito e colunista inconstante. Um debatedor de ideias. Tem uma direita potente e um queixo duro nos debates. Acredita em tudo que seus olhos podem ver. E, é um ex-comunista que dobrou a Direita.

Leia também...

 
Dê mais vida a Feedback Mag., para sua imagem aparecer ao lado de seu nome nos comentários, cadastre-se no Gravatar usando o mesmo e-mail com o qual você comenta aqui na revista. Leva 2 minutos.
 
  • Ezequiel Arimateia

    Excelente texto! Isso mesmo que observei naquela reportagem imbecil da ILISP.

    • Carlos Santos

      eles acreditam que atacando o Bolsonaro vão abrir espaço pro Amôedo.

      • http://www.feedbackmag.com.br Fernando Henriques

        Amoedo se bobear não bate nem um 1% das intenções de voto. Aconteça o que acontecer, esse povo vai no Bolsonaro num 2º turno.